fbpx

Como escolher o melhor produto para o seu tipo de pele

Tempo de leitura: 9 minutos

Chegou a hora de encontrar o melhor produto para o seu tipo de pele. 

O primeiro passo é identificar o seu tipo de pele. O segundo é escolher os produtos mais adequados para você. Comece escolhendo os produtos para os três passos básicos de cuidados com a pele:

  • Limpeza
  • Hidratação
  • Proteção do sol

Melhor produto para a limpeza da pele

Primeiramente, cada tipo de pele tem uma necessidade na hora de fazer a limpeza do rosto. Confira abaixo algumas dicas de produtos recomendados para os tipos de pele existentes.

O melhor produto para limpar a pele, conforme o tipo de pele
Higienizantes para para tipo de pele

Como escolher um sabonete para peles mistas a oleosas

A pele oleosa tem uma produção maior de sebo que as outras peles. Por isso precisa de um produto específico que retire a oleosidade e que deixe uma sensação de refrescância e toque seco por mais tempo. 

O melhor produto para esse tipo de pele é o Sabonete Refrescante, pois, além de limpar a pele e de proporcionar uma sensação de refrescância, auxilia no controle da oleosidade, retirando o aspecto brilhoso sem deixar a pele ressecada.

Por outro lado, se além de ter a pele oleosa você possui acnes ou espinhas, o mais recomendado é tratar a oleosidade e a acne ao mesmo tempo. Para isso, use a Espuma Detox, que limpa e tonifica, possui ação detox e antipoluição. Desta forma, desintoxica os poros e evitando a formação de novas espinhas.

Como escolher um sabonete para pele normais a secas

Peles normais a secas precisam de um produto que retire as impurezas do rosto, mas que não deixe a pele ressecada e com a sensação de repuxamento, que é comum acontecer quando utilizamos produtos inadequados para o nosso tipo de pele. 

O mais indicado para essas peles é a Espuma de Limpeza Hidratante, ou ainda o Sabonete Dermopurificante. Esses produtos além de limparem, também protegem e preservam a hidratação natural da pele, deixando-a suave ao toque. 

Como escolher um sabonete para peles maduras

Além de limpar, para peles maduras, é interessante um produto que acima de tudo, auxilie no processo de renovação.

Duas espumas estão entre as mais recomendadas para esse caso e podem ser usadas por todos os tipos de pele: Espuma de Limpeza Facial e Glycoacid Detox, ambas com o ácido glicólico. 

A Espuma de Limpeza Facial com Ácido Glicólico remove as células mortas e diminui os sinais da idade. E a Glycoacid Detox é para quem tem a pele madura mas que também possui algumas manchas, pois essa espuma tem efeito detox, estimula a renovação celular e ajuda na redução das marcas senis da pele.

Qual o melhor produto hidratante para o seu tipo de pele

No post como cuidar da pele, você já aprendeu que todos os tipos de pele precisam ser hidratados, sem exceção.

hidratação

Essa ação previne o envelhecimento, mantém a pele saudável e com a barreira de proteção fortalecida contra os agentes externos, como, por exemplo, poluição e mudanças de temperatura.

A diferença entre os hidratantes de cada tipo de pele é a composição do produto. Por exemplo, para peles oleosas o ideal é ter um hidratante em forma de gel ou sérum, que não pesa na pele e não vai deixá-la mais oleosa. Já peles secas necessitam de um poder hidratante maior e, nesse caso, os hidratantes em creme são os mais indicados. 

Outro fator importante na hora de escolher um hidratante diz respeito aos ingredientes ativos que cada produto possui. Esses ingredientes são direcionados às características de cada tipo de pele. 

Hidratante para peles mistas a oleosas

O hidratante mais indicado para peles oleosas de todas as idades é o Gel-Creme Oil Control. Ele é um hidratante multifuncional que mantém a pele livre do brilho e da oleosidade excessiva. Também promove hidratação prolongada e minimiza o tamanho dos poros dilatados, tornando-os menos visíveis e promovendo um imediato efeito tensor dos poros . 

O hidratante ainda age em outros aspectos gerais da pele, como o envelhecimento e a uniformização do tom, graças a ativos como nano vit C e niacinamida.

Hidratante para peles normais a secas

Se a sua pele é muito seca, você precisa de um produto com um poder hidratante maior. E nesse caso, você pode escolher conforme a necessidade da sua pele:

  • Se você tem a pele seca e com poucas rugas, opte pelo Prevent. Ele vai hidratar e retardar o aparecimento das linhas de expressão.
  • Por outro lado, se você tem a pele seca e já possui rugas e sinais de expressão, escolha como hidratante o Reverse. Ele vai hidratar, diminuir as rugas e linhas de expressão, e também aumentar a firmeza da pele. 

Hidratante para todos os tipos de pele

Também existem os hidratantes multifuncionais, que se adaptam à maioria dos tipos de pele. 

Para ter essa flexibilidade, esses hidratantes normalmente são em forma de sérum. Um exemplo é o Dermo Vit C, que possui um excelente poder de hidratação graças às nanocápsulas de vitamina C e de resveratrol. Esses ingredientes hidratam a pele ao mesmo tempo que tratam e previnem as linhas de expressão e as rugas. 

Este sérum é um produto multifuncional que possui forte ação antioxidante e hidratante, sendo recomendado tanto para peles jovens quando para peles que já apresentam os sinais de envelhecimento. Mas deve-se ter uma atenção maior ao usá-lo em peles oleosas, pois poderá não se adaptar 100% a esta pele, já que não possui nenhum ingrediente que auxilia no controle da oleosidade. 

Qual o melhor produto para proteger a sua pele do sol 

O protetor solar deve ser usado desde a infância, já que os efeitos da radiação são cumulativos na pele, ou seja, os danos vão se somando durante toda sua vida. Além disso, você deve usar o protetor solar o ano inteiro.

Proteção solar em todas as idades

Mas na hora de escolher o melhor protetor solar, podem surgir algumas dúvidas: qual é o melhor produto para o meu tipo de pele?

Primeiramente é importante entender que, além do tipo de pele, é preciso considerar qual o seu fototipo. Explicamos como escolher o fator de proteção no texto como cuidar da pele. 

Confira agora as sugestões de protetores solares da Extratos da Terra conforme os tipos de pele. 

O melhor produto para proteger as peles mistas a oleosas

A pele oleosa é talvez a mais difícil de se encontrar um protetor que se adapte a ela sem deixar aquela sensação pegajosa. A Extratos da Terra tem duas sugestões de protetores para a pele mista a oleosa.

O primeiro é o Protetor FPS 20, com toque seco e suave, além de textura oil free. Possui em sua fórmula extratos vegetais que controlam a oleosidade.

O segundo são os protetores em pó translúcido e com cor, com fator de proteção 50. O protetor em pó pode ser associado ao FPS 20, deixando a reaplicação do filtro durante o dia mais fácil. Mas você também pode usar o pó sozinho. Ele possui ação contra a luz azul, poluição urbana e deixa a pele com toque seco e sem brilho. 

Melhor protetor para peles normais a secas

Pessoas com peles normais a secas não possuem muita restrição quanto ao uso do protetor, por outro lado, devem sempre se lembrar se escolher o FPS mais adequado ao seu tom de pele. 

Algumas dicas de protetores para essas peles são:

  • FPS 30 e FPS 50: ambos protegem dos raios UVA e UVB e possuem a coenzima Q10, que tem como função auxiliar a diminuir a profundidade das rugas e linhas de expressão, aumentar a firmeza da pele e a produção de colágeno.
  • Tonalizante Clareador: é um protetor ideal para quem tem algumas imperfeições na pele e deseja disfarçá-las. Também tem ação clareadora, sendo perfeito para proteger peles com manchas. 
  • Protetor em pó com FPS 50: disponível nas cores translúcido, médio e escuro, ideal para uso diariamente, deixando a rotina de reaplicação do filtro solar muito mais fácil e prática ao longo do dia. Você pode inclusive usa-lo sobre a maquiagem.

Cuide da sua pele com os produtos mais recomendados para as suas necessidades.

Se ainda tiver dúvidas, deixe a sua pergunta aqui nos comentários que nós responderemos para você 😉

Teste de eficácia: a comprovação de que os dermocosméticos funcionam

Tempo de leitura: 7 minutos

Dermocosméticos e teste de eficácia são dois termos que geram muitas dúvidas e que estão intimamente relacionados.

Primeiramente, o termo dermocosmético é utilizado para definir um produto com uma função de tratamento para a pele, como, por exemplo, produtos para tratar  manchas, produtos anti-idade e antiacne, produtos para redução de gordura localizada, entre muitas outras funções. 

Enquanto os cosméticos comuns têm uma ação mais superficial ou mascaram o problema da pele, como, por exemplo, as maquiagens e os cremes hidratantes comuns. Os dermocosméticos são diferenciados, pois possuem ingredientes que agem para solucionar ou amenizar um problema específico. Com a evolução da ciência, esses ingredientes ficam mais tecnológicos e eficazes a cada dia. 

Por falar em eficácia, os dermocosméticos precisam ter comprovação de que realmente resolvem o problema. Assim a Anvisa (órgão que regulamenta e monitora os cosméticos e medicamentos no Brasil) libera a produção e a venda desses produtos.

Essa comprovação é feita através de testes de eficácia, que devem ser realizados por laboratórios sem qualquer  ligação com a empresa que produz o dermocosmético, de modo que não ocorra manipulação de dados. Os laboratórios também precisam ser regulamentados pela Anvisa para poder realizar esse tipo de teste. 

Como é feito o teste de eficácia de um dermocosmético

Depois que a empresa desenvolve a fórmula de um produto de tratamento, é necessário comprovar que esse produto realmente funciona. Para isso, os fabricantes enviam amostras do produto a laboratórios credenciados pela Anvisa. 

Para ficar mais fácil de entender, imagine que uma empresa desenvolveu um produto para clarear a pele. Dessa forma, o laboratório que fará os testes seleciona pessoas com manchas na pele para testar o produto.

Antes de o laboratório iniciar os testes, todos os voluntários são avaliados por pessoas capacitadas, muitas vezes dermatologistas. Desta forma, tem-se a certeza de quem vai testar o produto possui realmente manchas e que podem ser tratadas com dermocosméticos. 

Essas pessoas então usam os produtos por um tempo determinado pelo fabricante. Ao final do teste, os voluntários dão a sua opinião sobre o produto, avaliando se esse produto realmente reduz as manchas. O produto clareador foi só um exemplo, mas esse processo acontece com todos os produtos que prometem tratar a pele de alguma forma.

Juntamente com o resultado, os testes de eficácia informam por quanto tempo os voluntários usaram o produto. Sabe-se que cada pessoa é única e que o tempo para perceber os resultados pode variar conforme o tipo de pele e os hábitos individuais. Mas esse tempo serve para você comparar e ter uma ideia de quanto tempo depois que usar um produto perceberá o resultado. 

Portanto, quando você for comprar um produto de tratamento para a pele e não constar na embalagem a informação dos testes de eficácia, solicite ao fabricante essa informação. Assim você terá mais garantia de que o produto realmente resolverá o seu problema. 

Quais são os tipos de testes realizados em dermocosméticos?

Além dos testes de eficácia mencionados anteriormente, a maioria dos dermocosméticos também possuem os testes dermatológicos. Esses últimos não dizem respeito à eficácia do produto, mas sim mostram que o produto é seguro e que tem baixo poder de provocar alergias na pele.  

Esses testes são feitos também por laboratórios credenciados pela Anvisa e seguem um protocolo realizado por dermatologistas, que avaliam a pele antes e após o uso do produto, e assim define-se se esse produto é seguro para o uso. 

Existem ainda os testes clínicos. A diferença destes para o teste de eficácia é que o resultado da eficácia do produto é medido por um dermatologista, que avalia o produto através de aparelhos ou de outros recursos disponíveis para definir o quanto esse produto resolve o problema de pele proposto. 

Portanto, os três testes mais comuns em dermocosméticos são:

  • Teste de eficácia: o resultado é a percepção de quem usou o produto, que dá a sua opinião do quanto a pele melhorou. 
  • Teste clínico: o resultado dá-se pela percepção e avaliação de um médico dermatologista. 
  • Teste dermatológico: comprova que o produto é seguro para o uso, segundo a avaliação de um dermatologista.

Por que a Extratos da Terra faz testes em seus produtos?

A Extratos da Terra é uma empresa que desenvolve os seus próprios produtos através de muitas pesquisas de ativos e ação na pele. Por isso, a empresa opta sempre por investir nos testes de eficácia realizados por voluntários que possuem as mesmas queixas que os  clientes Extratos. 

O investimento financeiro para realizar os testes de eficácia é bem alto. Porém, dessa forma, quem compra os produtos da Extratos da Terra tem a garantia de que esses produtos foram aprovados e realmente funcionam, o que para nós é superimportante.

Caso os testes não apresentem o resultado esperado pela equipe de desenvolvimento, os produtos voltam a ser estudados, sua fórmula é modificada e novos testes de eficácia são realizados com voluntários. Isso garante que os produtos vendidos pela marca sejam realmente eficazes e melhorem a pele e a autoestima de seus clientes. 

Onde encontrar os testes nos dermocosméticos da Extratos da Terra

teste de eficácia em dermocosméticos

A transparência e a qualidade dos produtos da Extratos da Terra são demonstradas pelos testes de eficácia, que estão visíveis, na sua maioria, nas embalagens dos produtos e também em nosso site. 

Você ainda consegue visualizar os principais testes dos produtos no destaque “testes de eficácia” da página oficial da marca no Instagram.

QR cod

Além disso, as nossas embalagens contêm um QR code que, quando escaneado, você encontra informações mais detalhadas do produto, como, por exemplo, a indicação, o modo de uso, o teste de eficácia e outros conteúdos. 

Agora que você já sabe o que são os testes de eficácia, na hora de comprar o seu produto de tratamento da pele verifique se a empresa fez testes que garantam que esse produto realmente cumpre o que promete.

Qualquer dúvida sobre os testes de eficácia de nossos produtos, deixe a sua pergunta aqui nos comentários. 🙂

Tipo de pele: saiba qual é o seu

Tempo de leitura: 8 minutos

Conhecer o seu tipo de pele é muito importante para ajudar você a entender como cuidar dela de forma adequada e mantê-la sempre bonita e saudável, escolhendo os produtos e a rotina de cuidados corretos. 

Após usar um produto, a minha pele ficou mais oleosa

Usei um hidratante, mas ele não melhorou a minha pele

Relatos como esses são mais comuns do que se imagina, e isso pode ser o resultado do uso de produtos que não são destinados ao seu tipo de pele. 

Cada tipo de pele possui diferentes características e por esse motivo requer produtos específicos. E é por isso que nem sempre o produto que deu resultado para a sua amiga vai dar certo para você. Cada pele é única e com particularidades, e saber identificar quais são as características da sua pele faz com que as suas escolhas na hora de usar um produto sejam mais assertivas e tragam os resultados que você espera, além de evitar reações indesejadas. 

Outra importância em saber identificar o seu tipo de pele é que fica mais fácil perceber quando a pele está sofrendo alguma alteração, como o aparecimento de espinhas ou sensibilidade que venha a causar desconforto. 

Como identificar o tipo de pele?

Nós já falamos aqui no blog sobre como a pele funciona, quais são as suas funções e a interação com os produtos cosméticos. Agora chegou a hora de entender qual é o seu tipo de pele.

Os 4 tipos de pele são:

  • Normal
  • Seca
  • Mista
  • Oleosa

Para definir o tipo de uma pele, são observadas características que a pele apresenta e como ela se comporta em certas ocasiões como:

  • Aparência ao acordar
  • Sensação após lavar o rosto
  • Aparência após a prática de exercícios físicos
  • Comportamento da pele em outros momentos do dia

Comece lembrando as características da sua pele. Vamos descobrir qual é o seu tipo agora?

Pele normal

Aspecto da pele normal

A pele considerada normal possui uma textura aveludada e suave. Sua aparência é rosada, e seus poros são pequenos e quase imperceptíveis. Possui boa elasticidade e é bem equilibrada, ou seja, nem muito oleosa, nem muito seca. 

Pessoas que têm a pele normal, quando acordam de manhã e se olham no espelho, percebem a pele bem hidratada e sem excesso de oleosidade. Por outro lado, ao fazer uma atividade física mais intensa, essas pessoas geralmente ficam com a pele mais avermelhada nas bochechas. 

Pele oleosa

Talvez seja o tipo de pele mais fácil de ser identificado, pois o aspecto é bem brilhante, já que esse tipo de pele produz mais oleosidade do que a pele normal. 

tipo de pele: oleosa
Aspecto da pele oleosa

Quem tem a pele oleosa normalmente sente a necessidade de lavar o rosto várias vezes ao dia devido à sensação de a pele estar suja por conta da oleosidade. Por outro lado, ao lavar o rosto, a pessoa sente-se confortável.

A pele oleosa apresenta também poros dilatados e maior tendência à formação de cravos e espinhas. 

Se você já se identificou nesse tipo de pele, acesse o conteúdo “Pele oleosa: 4 dicas para ficar com a pele sequinha o dia inteiro.”

Pele seca

Esse tipo de pele costuma ser mais opaco, com pouca luminosidade e baixa hidratação natural, caracterizada pela perda de água em excesso.  

Pele Normal
Aspecto da pele seca

A pele seca pode ter um toque áspero, descama com facilidade e normalmente é mais sensível em algumas regiões, ficando vermelha, por exemplo, na mudança de temperatura ou após a prática de atividade física. 

Pequenas linhas e fissuras são mais facilmente percebidas nessas peles devido à falta de hidratação. 

Pele mista

É o tipo de pele mais frequente. A pele mista apresenta uma mistura de características dos outros tipos de pele. Algumas regiões do rosto apresentam característica de pele oleosa, como a “zona T”  (testa, nariz e queixo), e em outras regiões como por exemplo, nas bochechas a pele é normal ou seca.

tipo de pele mista
Pele mista: região “T” com aspecto oleoso

A pele mista apresenta um aspecto brilhoso na zona T e pode apresentar também espinhas e cravos nessa região.

Após a prática de atividade física mais intensa, esse tipo de pele fica com aspecto mais oleoso. Por outro lado, na região das bochechas, por ser mais ressecada, após lavar o rosto tem-se a sensação de repuxamento. 

Teste para descobrir o seu tipo de pele

Se a descrição das características de cada pele ainda tenham deixado você com dúvidas sobre qual é o seu tipo de pele, criamos um teste por meio do qual, através de algumas perguntas, conseguimos te ajudar a definir a sua pele e indicar quais os produtos mais para ela.

Conheça ainda as variações de tipo de pele

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) classifica esses quatro tipos de pele quando se trata de pele saudável.

Por outro lado, muitas vezes encontramos outras descrições, como pele acneica, pele sensível e pele envelhecida. Essas definições dizem respeito às condições em que a pele se encontra. Peles com esses problemas devem-se a vários fatores como por exemplo, a alimentação, estilo de vida, uso de medicamentos, entre outros.

Sendo assim, entre outras características, uma pele pode ser:

  • Oleosa e acneica
  • Mista e sensível
  • Seca e envelhecida

Vamos ver as duas principais: pele acneica e pele sensível. 

Pele acneica

Primeiramente, a pele acneica é aquela que apresenta uma condição inflamatória na forma de espinhas avermelhadas. Apesar de a acne ser mais comum em peles oleosas e mistas, pode se manifestar também em peles normais e secas, pois caracteriza uma condição em que a pele se encontra. 

A acne surge por vários fatores. Explicamos mais detalhadamente como a acne aparece no post “Acne: o que é e como ocorre.”

Pele sensível

A sensibilidade também é uma característica que pode estar presente em qualquer tipo de pele, mas é mais comum em peles secas devido ao fato de a barreira de proteção e hidratação não ser efetiva. 

Por outro lado, outros fatores podem modificar a pele e deixá-la mais sensível e reativa a qualquer mudança de hábito que você possa ter. Abaixo citamos alguns exemplos, entre outros, que podem deixar a pele sensível:

  • Uso de medicamento, como o Roacutan
  • Tratamentos com peeling mais profundos
  • Tratamentos de pele agressivos 
  • Dermatites 

Independentemente do seu tipo de pele, os três cuidados básicos que todos devemos ter é lavar o rosto de forma adequada, hidratar e proteger do sol. 

Agora que você já sabe qual é o seu tipo de pele, escolha produtos que vão agir conforme as suas necessidades. Lembre-se sempre de ler a embalagem do produto e verificar para qual tipo de pele é indicado.

Separamos para isso uma última dica no post “3 passos diários para manter a pele bonita todos os dias”. Lá constam algumas dicas de quais produtos são mais adequados para o seu tipo de pele. 

Cuide bem da sua pele e conte conosco para ajudar você! 

Conheça a história da Extratos da Terra

Tempo de leitura: 6 minutos

Você conhece a história da Extratos da Terra?

É uma história linda, cheia de altos e baixos como qualquer uma outra, mas com vários elementos especiais.

Primeiro, temos que apresentar o criador de tudo isso, Joel. 

Joel nasceu em Florianópolis, SC, o primeiro de 8 irmãos. De uma família humilde e trabalhadora, Joel sempre trabalhou para ajudar a sustentar a família. Acordava cedo para ir trabalhar na roça, vendeu picolé, …., fez de tudo um pouco e sempre teve um visão empreendedora muito forte.

Em 1989, Joel ficou desempregado. Naquele ano, ele conheceu um químico, de São Paulo, que iria ficar uns meses em Florianópolis, e esse químico, sabendo que ele estava sem trabalhar, lhe ofereceu um trabalho. Porém, ele não poderia pagar, mas poderia lhe ensinar um pouco de sua profissão.

E assim foi. Foram poucos meses, mas o suficiente para aprender uma coisa ou outra. O químico voltou para sua cidade natal, e além de deixar seus ensinamentos, deixo matéria-prima suficiente para que Joel começasse um novo negócio.

Na cozinha de sua mãe, começou a produzir shampoos e condicionadores para salões de beleza, e foi vendendo nos salões da cidade de Palhoça, onde ele então morava. Porém, logo ele percebeu uma oportunidade.

Muitos salões tinham em sua equipe uma esteticista, e necessitavam de produtos com baixo preço, porém com qualidade. Então, através de algumas pesquisas, começou a desenvolver alguns produtos que entregava às profissionais para lhe dar feedback, e assim, passou a co-criar os produtos com os futuros usuários.

Dessa maneira, a empresa se transformou oficialmente em uma marca de cosméticos de tratamento para profissionais de estética que usam esses produtos em seus tratamentos e massagens. Em 1990, a empresa foi oficialmente registrada. Logo teve um químico próprio como responsável técnico e mais colaboradores (os irmãos de Joel).

A empresa cresceu, mudou-se para um espaço próprio e abriu seus primeiros distribuidores, e, em pouco tempo, estava presente nos principais estados brasileiros. Foi tudo muito rápido, o mercado realmente precisava de produtos, e os produtos da Extratos da Terra tinham uma qualidade muito grande.

Em um certo momento da história, a Extratos da Terra se tornou a marca de dermocosméticos corporais mais utilizada pelos profissionais de estética. Grande parte desse êxito se deu por que a maioria das empresas concorrentes tinham como foco os produtos faciais.

Hoje, tantos anos depois, esta característica inicial da empresa, garantiu que se convertesse em uma marca de cosméticos de tratamento que pesquisa, desenvolve e fabrica os seus próprios produtos, tendo total controle sobre o processo: desde a ideia inicial até a entrega do produto ao mercado.

Essencialmente, a Extratos da Terra é uma empresa familiar, construída por pessoas próximas, que possuem fortes características de relacionamento e valores compartilhados. Uma empresa preocupada em acolher e manter um espírito de proximidade e respeito por tudo e por todos.

Também, tem uma grande preocupação com a parte social e ecológica. No âmbito social, busca sempre valorizar as pessoas locais, a região próxima a indústria e a trabalhar com universidades próximas. 

Com relação ao ecológico – tema que sempre esteve presente na vida de Joel e da empresa, mesmo antes de todas as leis ambientais – a empresa faz o necessário para reduzir o seu impacto no meio ambiente: 

  • realiza o tratamento da água utilizada para que se devolva para a natureza de forma pura; 
  • possui produção de energia limpa própria, através de painéis solares; 
  • realizar reciclagem dos materiais utilizados em todo o processo; 
  • faz a compensação ambiental de todas embalagens utilizadas e 
  • investe em pesquisas para criação de linhas de produtos vegetais.

Joel comentou com a gente como é estar comemorando 30 anos de história com a Extratos da Terra:

“Acreditamos que ainda estamos somente no começo, porque ainda há muito por fazer.

Como fundador da marca, comemorar 30 anos é motivo de muito orgulho. Me sinto abençoado por Deus por ter me permitido enfrentar todos os desafios e nunca ter desistido.

Olho para trás e consigo ver ainda os primeiros passos trilhados e todos os outros que vieram depois até os dias de hoje, como se fosse um filme em alta resolução.

Para muitos, 30 anos é muito trabalho, e é. Mas também tem muita diversão, porque é bom demais fazer o que se ama, e ainda por cima encher de orgulho as pessoas que estão próximos, que nos amam e compreendem todo empenho e sabem que cada tijolo foi bem cimentado.

Agora é olhar para frente e continuar, o mais difícil já foi feito, o “começar”.”

Comemoramos 30 anos, e isso é motivo de grande felicidade. Por mais que não podemos estar fisicamente próximos de todos que fizeram e fazem parte dessa história, nos sentimos próximos, e gostaríamos de deixar aqui o nosso muito obrigado.

Confira a mudança do logo da Extratos da Terra ao longo dos anos:

O primeiro logo, levava o nome da própria razão social.
Em 1996 foi definido o nome e criado o primeiro logotipo.
Em 2016 foi a hora de dizer adeus à flor de lis, e criar um novo logo que representasse o novo momento da marca, com investimentos em tecnologia.
Por fim, em 2018, foi definida a cor da marca como berinjela, uma cor que representa acolhimento, resultado e respeito, os pilares da Extratos da Terra.

Manchas na pele: como aparecem

Tempo de leitura: 7 minutos

“Eu sempre sofri muito por conta de manchas na pele. Parece que a minha pele é muito sensível, e qualquer coisa que acontece, aparece uma mancha. Primeiro foram as manchas de acne que tive durante a adolescência. Elas não eram muitas, nem muito marcadas, mas me incomodavam, e eu sempre sentia necessidade de usar algo para cobri-las.

Depois de um tempo, começaram a aparecer umas manchas um pouco mais marcadas, e quando pesquisei descobri que eram melasmas. Eu usei alguns produtos diferentes para tratar, às vezes parecia que melhorava, mas depois as manchas voltaram. 

Eu sei que devo me aceitar como sou, mas essas manchas realmente impactam a minha autoestima, e eu me sentiria melhor se elas não aparecem tanto.”

Você se identifica com a situação acima ou com alguma parte dessa história?

Muitas pessoas passam por isso, já que a maioria da população tem manchas na pele.

Normalmente, quem de fato sente que as manchas incomodam faz de tudo para amenizá-las, mas nem sempre essas ações funcionam.

Você sabe que tudo pode mudar se passar a entender o que são essas manchas na pele, por que elas aparecem e como surgem?

Assim você vai saber o que realmente acontece dentro da sua pele, que tipos de manchas você tem e qual a melhor forma de tratá-las.

Talvez você esteja pensando: vão tentar me vender algum produto. A verdade é que poderíamos, mas não vamos fazer isso. Queremos realmente compartilhar o nosso conhecimento com você, de modo que escolha o que é melhor para a sua pele, e a partir daí a decisão sobre como cuidar das manchas é sua.

O que são as manchas na pele?

A primeira coisa que você precisa saber é que as manchas na pele são formadas por conta de uma produção descontrolada da melanina.

A melanina é um pigmento que dá cor à nossa pele, ou seja, produzimos ela naturalmente.

Porém, algumas situações podem contribuir para que a melanina seja produzida em excesso, fazendo com que algumas partes da pele fiquem mais escuras do que outras. E são essas partes escuras que chamamos de manchas de pele.

Por que aparecem manchas na pele?

Essa produção descontrolada pode ser ativada por vários fatores, por isso é tão comum encontrar pessoas com manchas na pele, pois todos nós estamos expostos a esses fatores.

Os cinco principais fatores causadores de manchas são:

  • exposição solar: a radiação do sol desencadeia uma série de mecanismos na nossa pele que levam ao aparecimento das manchas;
  • gravidez e uso de anticoncepcional: ambos ativam mecanismos muito similares aos que a radiação UV provoca. É comum mulheres que nunca tiveram manchas na pele apresentarem melasmas durante a gravidez;
  • processos inflamatórios: os processos inflamatórios, como acne ou até machucados, ativam a defesa da nossa pele, que produz melanina para se proteger e acaba gerando manchas;
  • estresse: sim, até o estresse é responsável pelo surgimento de manchas na pele. Ele ativa uma substância diferente das anteriores, que leva a esse processo; e
  • poluição: estudos recentes apontam a poluição como superprejudicial para a nossa pele, sendo responsável pelo aparecimento de manchas e do envelhecimento precoce.

Onde as manchas são formadas?

Como falamos anteriormente, as manchas são resultado de uma produção descontrolada da melanina. Essa melanina é produzida em uma célula chamada melanócito, que fica na camada mais profunda da nossa epiderme (para saber mais sobre as camadas da pele e como a nossa pele funciona, clique aqui).

Manchas na pele: onde são formadas

Mas como as manchas chegam à superfície da pele?

O que acontece: o melanócito produz melanina em excesso e, através dos dendritos (essas perninhas que ele tem), transfere a melanina para as células até chegarem à superfície da pele. 

Por que é importante saber isso?

Porque aqui a gente entende que o tratamento das manchas não diz respeito a somente retirá-las da superfície da pele, temos que “controlar” o melanócito, pois ele vai sempre continuar produzindo mais melanina. Por isso, muitos tratamentos parecem que funcionam num primeiro momento, mas depois a mancha na pele acaba voltando. 

Quando tratamos manchas, temos que pensar em várias coisas, mas as principais são:

  • regular a produção de melanina no melanócito para que ele pare de produzir de forma descontrolada esse pigmento;
  • impedir que a melanina já formada chegue à superfície da pele; e
  • remover as células já pigmentadas da superfície da pele.

Como tratar as manchas na pele e por quanto tempo deve ser feito o tratamento?

Você já entendeu que precisa tratar as manchas através das três ações citadas acima, mas como saber se o produto que você está usando faz tudo isso?

Aqui é muito importante você ler os ingredientes que o produto contém. Normalmente, as próprias empresas fornecem uma descrição dos ingredientes ativos (aqueles que realmente vão agir no problema), o que é cada um deles e o que de fato esses ativos fazem. 

Caso prefira, você também pode entrar em contato com a empresa, ou com quem te vendeu o produto, e solicitar uma explicação mais aprofundada (agora que você já sabe tudo isso, fica muito mais fácil de entender).

Por quanto tempo o tratamento deve ser feito?

Vai depender de pessoa para pessoa, e principalmente, do tipo de mancha. Mas basicamente são duas fases: a fase do tratamento e a fase de manutenção.

No tratamento, serão usados mais produtos e com ações bem específicas para reduzir as manchas existentes, impedir que as manchas já produzidas cheguem à superfície e controlar o melanócito. O mínimo recomendado para essa fase é um período de 3 meses.

Na manutenção, depois que as suas manchas reduzirem, você utilizará produtos que vão manter o melanócito controlado para que não volte a produzir as mesmas manchas de antes. Caso você queira ficar longe das manchas, deverá sempre realizar a manutenção uma vez que comece o tratamento. O bom é que para isso existem vários produtos com outras funções, como anti-idade e antioleosidade, que também agem na redução de manchas e que devem se tornar parte da sua rotina de cuidados diária.

Para finalizar, vamos destacar dois pontos importantes:

  • Fique longe de peelings agressivos, que fazem a sua pele descamar. No primeiro momento, a sua pele vai ficar linda, porém se você não tiver muito cuidado depois e não usar produtos adequados, as manchas voltarão e podem retornar ainda mais fortes, já que se trata de algo muito agressivo que ativa o sistema de defesa da pele.
  • Procure sempre por produtos com registro na ANVISA e que tenham passado por testes de eficácia, ou seja, os produtos foram testados em laboratórios credenciados e têm resultados comprovados.

Gostou deste assunto? Conte pra gente nos comentários o que achou e nos envie as suas dúvidas!

Continue acompanhando o nosso blog para mais conteúdos!

Instagram
Facebook
YouTube
Nosso site

A Pele: como funciona

Tempo de leitura: 7 minutos

Você já parou para pensar como funciona a sua pele? E já pensou que, ao saber isso, vai entender como os produtos que você usa em sua pele funcionam?

Talvez você se lembre um pouco das aulas de biologia, talvez nem se lembre de ter aprendido isso. De qualquer forma, vamos desmistificar as principais partes da nossa pele para começar a entender todo esse mundo de skincare (skincare = cuidados com a pele).

A pele é formada por três camadas

Como funciona a pele: camadas da pele
As camadas da pele: epiderme, derme e hipoderme.

Epiderme – é a camada mais superficial da pele. Ela é a nossa barreira de proteção contra  o meio externo. Vamos conhecer as principais células e características desta camada mais à frente.

Derme – é a camada intermediária da pele. É ela que dá a firmeza à nossa pele, e ali encontramos as fibras de colágeno e elastina, os folículos pilosos (onde os pelos nascem), os vasos sanguíneos, os linfáticos, as glândulas sudoríparas (do suor) e as glândulas sebáceas (do sebo/oleosidade).

Hipoderme – é a terceira e última camada da pele, formada basicamente por células de gordura que mantêm a temperatura do nosso corpo e nos fornecem energia. Esta camada faz a união das camadas anteriores com os demais órgãos.

Vamos entender como funciona a pele conhecendo mais cada uma dessas camadas.

Como funciona: Epiderme

A epiderme é uma das principais camadas que você precisa entender quando o assunto diz respeito a cuidados essenciais com a pele. Ela é formada por outras cinco camadas menores. Não entraremos em detalhes sobre cada um delas, mas o que você precisa saber é que na parte mais profunda da epiderme novas células estão sempre sendo produzidas através da divisão celular.

Como funciona a pele: as cinco camadas da epiderme

Essas novas células vão “subindo” para a superfície da pele e empurrando as células antigas, mas, à medida que vão chegando à superfície, elas vão “morrendo”. Por isso, a primeira camada da nossa pele é formada por células mortas, que são responsáveis por nos proteger.

Essas células vão sendo eliminadas aos poucos, o que renova a nossa pele. Agora, uma pergunta: você acha que a pele que vê no espelho hoje é a mesma que você vai ver daqui a 30 dias?

Se você respondeu não, acertou! Esse processo, chamado de renovação celular, dura em média 30 dias, por isso a pele que você tinha no mês passado não é a mesma que você tem hoje.

Mas por que estamos dizendo tudo isso?

Você já ouviu falar sobre a esfoliação da pele, certo? Mas entende a importância de esfoliar a sua pele

Nem sempre a nossa pele se renova rapidamente, e isso faz com que ela fique grossa e com aspecto opaco. Além disso, quanto mais grossa é a pele, mais difícil é para os produtos entrarem!

As pequenas esferas presentes nos esfoliantes removem as células mortas da superfície da pele e aceleram a renovação celular que, por consequência, resulta numa pele mais bonita e viçosa. Viu como é importante saber como funciona a nossa pele? Assim entendemos a necessidade de usar alguns tipos de produtos.

Existe mais uma coisa importante que você precisa saber sobre a epiderme: é nela que ficam as células conhecidas como “melanócitos”. Essas células são responsáveis pela produção de  um pigmento chamado “melanina”, que dá cor à nossa pele e também fornece proteção. E o que você realmente precisa saber: essas células, quando descontroladas, é que são responsáveis pelas manchas de pele.

Nesse outro post, você poderá ler mais especificamente sobre como as manchas aparecem. Agora vamos para a derme (tá quase acabando, juro que essas informações são bem importantes para você poder cuidar melhor da sua pele).

Como funciona: Derme

Como já mencionamos antes, a derme dá a firmeza, a sustentação para a nossa pele. E isso acontece por conta de duas proteínas: o colágeno (sim!) e a elastina.

Como funciona a pele: corte de pele com o destaque na derme, apontando as fibras de colágeno, elastina, folículo piloso e glândula sebácea

Normalmente, com o envelhecimento, essas fibras que dão firmeza e sustentação à pele vão enfraquecendo. Por conta disso, a nossa pele vai ficando flácida, e então surgem as rugas. Por isso é que se fala tanto de colágeno e da necessidade de estimular a produção dele para mantermos a pele jovem.

Além dessas duas fibras, também é relevante saber que na derme ficam os folículos pilosos, onde os nossos pelos e cabelos nascem, e junto com eles, as glândulas sebáceas, que produzem o sebo ou a oleosidade da pele.

O sebo é produzido naturalmente e é importante para tornar a nossa pele e os nossos pelos impermeáveis à água, para não deixar a água entrar na pele. Porém, em alguns casos, ele é produzido em excesso, deixando a pele muito oleosa e podendo gerar acne. Portanto, aqui é um dos locais que temos que chegar quando queremos tratar algum desses dois problemas.

Agora vamos falar de gordura e conhecer rapidamente a hipoderme.

Como funciona: Hipoderme

A camada mais profunda da pele, como já mencionamos, é a hipoderme (que, na verdade, não é considerada bem uma camada, tendo a função de conectar a derme aos músculos e ossos).

A hipoderme é composta basicamente por células de gordura, chamadas de adipócitos, que são a nossa reserva de energia. Claro que a hipoderme tem outras funções como a proteção contra choques externos e a regulação da temperatura corporal, mas os adipócitos são o que mais nos interessa no momento.

Essas células têm a capacidade de aumentar muito de tamanho, então quanto mais gordura elas têm para armazenar, mais o seu tamanho aumenta, ou seja, elas estão ligadas ao ganho de peso e à redução de medidas (para quem busca por saúde ou autoestima).

Você deve estar se perguntando: mas se os vasos sanguíneos ficam na derme e se os cosméticos não podem chegar até a corrente sanguínea, como existem produtos que auxiliam na redução de gordura localizada? Essa resposta é dada por uma característica incrível da nossa pele, chamada de comunicação celular!

Até onde os cosméticos de tratamento podem ir?

Nossa coordenadora técnica, Elizete Garcia, gravou um vídeo para você fazendo um resumo sobre as camadas da pele e explicando como é possível os produtos passarem pela barreira de proteção e agirem nos diferentes locais para diferentes necessidades.

Veja abaixo:

Agora você já sabe como funciona a sua pele. Gostou deste conteúdo? Então, compartilhe com quem você acha que também poderia gostar. Ah, e se tiver qualquer dúvida, pode perguntar nos comentários que logo vamos responder!

Quer ler uma explicação mais técnica sobre esse assunto? Acesse esse blog.

Continue acompanhando o nosso blog para mais informações!

Instagram: https://www.instagram.com/extratosdaterra/
Facebook: https://www.facebook.com/extratosdaterra/
Youtube: https://www.youtube.com/user/ExtratosdaTerra
Nosso site: https://extratosdaterra.com.br/

Estrutura e função da pele: explicação técnica

Tempo de leitura: 9 minutos

A principal função da pele é proteger o corpo contra os agentes externos do ambiente. Por outro lado, também é um meio de expulsar para fora o que está no interior do corpo e que não nos faz bem. E é por isso que a nossa alimentação influencia muito no estado da pele. 

A pele é um tecido vivo e dinâmico que sofre alterações constantes, dependendo de onde vivemos, do que ingerimos, da quantidade de água que consumimos e também do nosso estado emocional. Ela é a conexão do meio externo com o interior do nosso corpo. 

Todos sabemos o que é a pele, sentimos e tocamos nela diariamente. Mas você sabe do que ela é composta?

Você sabe como de fato a pele funciona e o que realmente ela faz em nosso corpo?

Neste post, vamos esclarecer essas perguntas, mostrar como é a pele no seu interior e a importância das principais estruturas que a compõem.

Estrutura e função da pele

Como funciona a pele: estrutura e camadas da pele

A pele é composta por três camadas que estão em constante renovação, sendo elas: 

  1. A epiderme
  2. A derme 
  3. A hipoderme ou camada subcutânea

Vamos conhecer um pouco mais sobre cada uma delas?

A epiderme: para que serve

A pele: as cinco camadas da epiderme

A epiderme é a camada mais superficial da pele e é onde agem os produtos que aplicamos. Essa camada é dividida em outras cinco camadas: basal, espinhosa, granulosa, lúcida e córnea.

O que difere essas cinco subcamadas são as características das células. De uma maneira mais simples, podemos dizer que a diferença principal entre elas é o estágio de vida das células da pele.

Como assim estágio de vida?

Bem, quando as células estão na primeira camada, elas são novinhas e recém-formadas. À medida que vão subindo para a superfície, elas vão ficando mais velhas, mais achatadas e formando espécies de escamas, até chegar na superfície, quando então vão formar o estrato córneo. Aqui nesse estágio elas já são células mortas, que constituem  a nossa película de proteção. 

Esse estágio de renovação da pele acontece entre 15 e 30 dias, dependendo da idade da pessoa. Ao passo que envelhecemos, esse processo vai ficando mais lento, e é por isso que percebemos a pele envelhecida, com a formação de rugas e de flacidez, que vão aumentando com a idade.

Vamos entender melhor esse ciclo de vida das células da epiderme?

A primeira camada, a mais profunda da epiderme, denomina-se camada basal. É nela que as células “nascem”, ou fisiologicamente falando, onde elas se dividem em um processo de multiplicação celular –, uma célula antiga dá origem a uma nova célula. Essa camada é responsável pela constante renovação da pele. 

Fazendo uma comparação com a nossa vida, esse estágio das células da pele seria como a fase dos bebês.

Na camada basal, existe também uma célula muito importante para a nossa proteção que é o melanócito. Ele é responsável por produzir um pigmento chamado melanina,  responsável por dar cor à pele. A melanina é a proteção natural da pele contra a radiação solar. Ou seja, ela protege as células dos danos provocados pelo sol. 

A segunda camada é a espinhosa, que corresponderia à nossa fase de infância e adolescência, uma fase de pleno desenvolvimento. Aqui as células começam a ficar mais achatadas e mais espalhadas. Nessa camada, acontece um processo de defesa contra agentes estranhos que conseguem penetrar nas camadas mais superficiais. É também na segunda camada que se desenvolvem as dermatites alérgicas de contato. 

A terceira camada é a granulosa, e agora já estamos na vida adulta. Nessa camada, as células já estão bem mais achatadas, e é aqui que são produzidas substâncias que formam a barreira de proteção impermeável da pele. Isso faz com que não percamos a água que está na nossa pele por evaporação e também faz com que a  água que está no exterior não seja absorvida pela pele.

Já imaginou entrar em uma piscina e o seu corpo sugar a água para dentro da pele?

Isso não é possível devido a essa barreira impermeável que a pele forma. 

A quarta camada é a lúcida, e já podemos comparar essa fase com a fase madura da vida, na qual  estamos mais velhinhos e já não temos tanta energia. Isso porque as células dessa camada já não têm mais núcleo e possuem um formato de  escama, sendo envoltas por queratina. Aqui, começa a se formar uma fina camada compacta que faz a proteção da pele e que é chamada de manto hidrolipídico, ou hidratação natural da pele. 

A quinta e última camada é o estrato córneo. Essa é a camada mais superficial, é a que conseguimos ver. Aqui as células já não têm mais vida, estão envoltas em material graxo, ceramidas e queratina, que formam  uma película protetora para que nada que esteja no exterior passe por ela.

De tempos em tempos, as células mais superficiais vão se desprendendo e sendo eliminadas naturalmente, enquanto outras células ocupam o seu lugar, e assim a pele permanece sempre bonita e lisa.

Por outro lado, quando envelhecemos, ou quando o nosso processo de renovação celular não é eficiente, muitas dessas células mortas não se desprendem, vão acumulando e formando uma camada espessa.

Para evitar que isso aconteça é que surgiu a esfoliação, que nada mais é do que facilitar a eliminação dessas células mortas que ficam depositadas na pele e que impedem que os produtos cosméticos aplicados possam ser absorvidos. Entenda mais sobre a importância da esfoliação aqui.  

As outras camadas – derme e hipoderme – constituem a pele por completo. Vamos conhecer um pouco mais cada uma delas? 

Derme: para que serve?

A derme é a camada posicionada logo abaixo da camada basal. Nela encontramos as conhecidas fibras de colágeno e elastina.

Essas fibras têm a função de dar sustentação à nossa pele. Digamos que elas são os pilares da epiderme, são as estruturas que seguram a pele e a mantêm firme e lisa.

Porém, com o passar dos anos, as células que produzem essas fibras vão ficando envelhecidas e já não produzem mais fibra de qualidade sozinhas, quando então começam a aparecer os sinais da idade, tais como rugas e flacidez. 

Outra função da derme é levar os nutrientes para a epiderme, já que nessa camada estão presentes os vasos sanguíneos. 

Também na derme temos o folículo piloso. Essa estrutura é o casulo do nosso pelo, é onde ele nasce e cresce. Esse folículo tem a sua base na derme e continua até a epiderme, dando condições de o pêlo e o cabelo saírem da pele. 

Junto com o folículo, temos outra estrutura importante que é a glândula sebácea. Ela é responsável por produzir o óleo que mantém a pele hidratada. Por outro lado, quando produz uma quantidade muito elevada, provoca o aspecto indesejado da pele oleosa e também o aparecimento da acne.

Hipoderme: para que serve?

A hipoderme não é mais considerada uma camada da pele, isso porque ela fica embaixo da pele, dando sustentação e suporte para toda a derme e a epiderme. 

A hipoderme tem como principal função armazenar energia, regular a temperatura e absorver o impacto. Dessa forma, quando sentimos alguma batida na pele, ela absorve o impacto e impede que os órgãos internos do corpo sejam danificados. 

A pele é um dos órgãos mais importantes para a vida e a proteção do corpo. Por isso, invista um tempinho para cuidar da sua pele, afinal ela é o nosso cartão-postal. 

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe com quem você acha que também poderia gostar. Ah, e se tiver qualquer dúvida, pergunte aqui que logo responderemos 😉

Instagram: https://www.instagram.com/extratosdaterra/
Facebook: https://www.facebook.com/extratosdaterra/
Youtube: https://www.youtube.com/ExtratosdaTerra
Nosso site: https://extratosdaterra.com.br/

Circuito de Conhecimento da Extratos da Terra

Tempo de leitura: 6 minutos

Antes de mais nada, a palavra conhecimento, segundo o dicionário on-line de português, é a ação de entender por meio da inteligência, da razão ou da experiência.

Foi exatamente com base nesses conceitos que o 1° Circuito de Conhecimento da Extratos da Terra foi pensado. Em meio a um tempo de isolamento, que fez com que cursos, congressos e feiras fossem adiados, os eventos on-line estão cada vez mais sendo os meios possíveis de repassar conhecimento. 

A Extratos da Terra, através do 1º Circuito de Conhecimento, quis trazer  uma nova forma de enxergar a estética aos profissionais da área. 

A ideia foi não pensar apenas em produtos e protocolos utilizados nos atendimentos, mas sim trazer aos inscritos uma visão de uma estética mais humanizada, científica e embasada na fisiologia do corpo.  

Como foi o Evento?

O 1º Circuito de Conhecimento aconteceu entre os dias 18 e 22 de maio, às 14h, com direito a certificação.

Foram mais de 3 mil profissionais da estética inscritos e 5 palestrantes, que dividiram seus conhecimentos e experiência de forma on-line na página do Facebook oficial da marca. 

Resumo do 1° Circuito de conhecimento

Confira um resumo do que foi o evento no vídeo de agradecimento:

As avaliações pós-evento nos encheram de orgulho. Como resultado, mais de 90% dos que participaram avaliaram o evento como muito bom, e 80% disseram que os temas foram relevantes para a área. 

Alguns depoimentos deixados nas avaliações mostram como o evento foi especial para muitos profissionais:

“O circuito foi muito bom, ainda mais neste momento da pandemia pelo qual estamos passando. Foi possível desfocar das notícias ruins e aproveitar o tempo para adquirir conhecimento.”

“Apenas agradecer a todos os profissionais que se dispuseram a passar conhecimento.”

“Gostaria de salientar a qualidade de todas as palestras, a relevância dos temas selecionados, as suas abordagens técnicas e os aprofundamentos. Parabéns a todos pelo empenho e disponibilidade de tempo!”

“Grandes profissionais, e estamos precisando muito de ética, respeito e muito conhecimento, isso nos faz diferentes. Muito obrigada pela chance de ter mais conhecimento.”

“Gostei bastante do evento e participarei do próximo!! Espero que continuem fazendo nesse formato on-line, gratuito e com certificado, pois vocês ajudam bastante muitas profissionais.”

Esses foram alguns dos muitos comentários deixados na avaliação pós-evento, e gostaríamos de registar o nosso muito-obrigado a todos os participantes que responderam ao questionário. 

Esses dados são muito importantes para que a Extratos da Terra continue desenvolvendo produtos e conteúdos relevantes para todos os profissionais da estética. 

Temas abordados no 1° Circuito de Conhecimento Extratos da Terra

O evento trouxe conteúdos de conhecimento nas áreas da estética paliativa, marketing, eletroterapia e avaliações dos resultados. 

Confira como foram as palestras e os conhecimentos abordados no evento:

  1. Estética paliativa

A primeira palestra foi com Vanessa Monteiro, que mostrou um outro lado da estética. É um trabalho muito bonito que ajuda as pessoas que estão passando por tratamentos de doenças graves, melhorando a qualidade de vida dessas pessoas. A palestra foi linda e muito inspiradora.

  1. Marketing é tudo o que se faz vender

O segundo dia foi com Cleber Campos, que falou como o marketing vem evoluindo e como usar algumas ferramentas para aumentar as vendas e os ganhos no cotidiano. Acima de tudo, esse dia foi repleto de informações para serem aplicadas na divulgação assertiva do trabalho da esteticista.

  1. Eletrocautério ou jato de plasma

Cecília Manoel encheu de energia positiva o terceiro dia do evento. Ela passou diversas dicas e pontos importantes sobre esse tipo de procedimento, como, por exemplo, como e quando pode ser feito, além de fornecer indicações de quais produtos ela usa nos procedimentos. 

  1. Nova geração de ultrassom facial de alta frequência e associações

A palestra do quarto dia foi com Aline Caniçais, que falou sobre rejuvenescimento facial. Primeiramente, ela abordou vários estudos científicos acerca do uso do ultrassom, formas de aplicação e resultados, além de falar sobre laser e ledterapia. Posteriormente, mostrou protocolos e produtos usados nos seus estudos de rejuvenescimento facial. A palestra foi muito rica em informações científicas.

  1. A tríade necessária para o resultado eficaz do tratamento estético

Para concluir o evento, a nossa querida técnica Elizete Garcia falou no quinto dia sobre a tríade nos tratamentos estéticos: avaliação, uso do home care e resultados. Ela detalhou por que esses fatores são tão importantes. Certamente a palestra deixou um gostinho de quero mais!

Perdeu o 1° Circuito de Conhecimento?

Está pensando por que não acompanhou o evento?

Então temos uma ótima notícia! Criamos uma playlist especial com todas as palestras para que você que perdeu essa oportunidade possa assistir no conforto de sua casa. Ou ainda para quem quer rever e estudar detalhadamente cada assunto. 

Para concluir, em nome de toda a equipe Extratos da Terra, queremos agradecer aos palestrantes que tornaram possível a realização desse evento e, principalmente, a todos os profissionais da estética por acreditarem e confiarem na nossa marca. 

Até breve e que venha a próxima edição do Circuito de Conhecimento! 

Lucimara da Cunha
Engenheira química e cosmetóloga
Analista de marketing e produtos

Manchas da pele: saiba como são formadas

Tempo de leitura: 11 minutos

Manchas da pele são um problema que afeta a aparência física da maioria das mulheres, incomodando todas as pessoas que se preocupam com a estética e com a vaidade.

Essas manchas são ocasionadas por diversos fatores e podem apresentar coloração branca, marrom ou avermelhada, de acordo com a quantidade de melanina produzida.

Melanina é o pigmento responsável pela cor natural da nossa pele. Ela é produzida na camada basal, em uma célula chamada melanócito.

O melanócito possui ainda prolongamentos, espécies de “bracinhos” que vão se infiltrando entre as células da pele. Fazendo uma comparação ilustrativa, podemos comparar o melanócito e a pele com uma mão segurando um abacaxi.

Manchas de pele: comparação ilustrativa

Pareceu estranho para você? Então observe a foto ao lado. Se você imaginar que a palma da mão é o núcleo do melanócito e os gomos do abacaxi representam as células, mais especificamente os queratinócitos, então os dedos são os dendritos no melanócito, que consegue alcançar vários queratinócitos. 

Essa comparação não foi boa?

Então observe a segunda imagem abaixo, ela é a representação de um melanócito carregado de melanossomos. E ao lado é o local onde esse melanócito se encontra na camada basal da pele. Agora sim, deu para entender? Mas aposto que você não vai se esquecer da comparação do abacaxi.

Brincadeiras à parte, afinal com manchas não se brinca, hoje vou explicar o quão complexo e perfeito é o nosso corpo para manter o equilíbrio e a proteção das células. 

Processo de pigmentação da pele

Dentro do melanócito, existe uma organela chamada melanossomo, que é o local onde efetivamente a melanina é sintetizada.

Depois do pigmento formado, o melanossomo é transferido através dos dendritos do melanócito para as células adjacentes da pele, que são chamadas de queratinócitos. 

Após o transporte dos melanossomos para os queratinócitos, a melanina vai se direcionando ao núcleo da célula para proteger o DNA, e o pigmento é então liberado.

Ou seja, a melanina é a principal proteção do DNA contra os danos da radiação solar, por isso que a causa das manchas da pele, na maioria das vezes, é desencadeada pela exposição ao sol. Quanto mais sol, mais o melanócito entende que precisa proteger as células e mais melanina é produzida para isso. 

A ativação para a produção de melanina pode se dar por diferentes fatores e normalmente envolve o processo de comunicação entre as células da camada mais superficial da pele e o melanócito.

Essas células impulsionam a produção da melanina através da ativação da tirosinase (enzima que catalisa as primeiras reações para formação do pigmento). 

São inúmeros os mecanismos que, ao serem ativados, levam mensagens para o melanócito produzir a melanina. Por isso, tratar manchas é mais complexo do que parece, e o tratamento deve levar em consideração o maior número de fatores que desencadeiam a formação de melanina. 

Porém, é bom ter em mente que a melanina não é uma vilã. Pelo contrário, ela é a proteção do DNA para que não ocorra o envelhecimento precoce das células nem doenças mais sérias como o câncer.

Portanto, quando se fala no  tratamento de manchas de pele, temos que considerar a melanina como nossa aliada, como uma parceira que a gente pega na mão e diz: “Estou contigo, fique calma e tudo vai dar certo”.

Produção descontrolada de melanina e formação de manchas da pele

Como mencionado anteriormente, a síntese de melanina é ativada por diversos mecanismos diferentes, muitos dos quais ocorrem através da comunicação entre as células da epiderme (queratinócitos) e os peptídeos que se ligam a receptores específicos nos melanócitos, iniciando a produção de melanina.

Muitos desses mecanismos são ativados pela exposição solar, que, ao atingir as células da pele, ativa os gatilhos de defesa das células, iniciando-se a comunicação celular.

Por esse motivo, o surgimento de hipercromias muitas vezes é relatado após a exposição ao sol. 

Na imagem abaixo, pode ser observado um esboço dos principais mecanismos que levam à formação de marcas escuras na pele. 

Clique aqui para abrir imagem em tamanho maior.

Grande parte dos fatores desencadeadores que resultam na ativação da tirosinase deve-se à incidência da radiação solar, mas outros pontos-chaves importantes também são a poluição, processos inflamatórios, a gravidez e o uso de anticoncepcional devido ao fator hormonal envolvido.

Todos esses fatores desequilibram a produção normal de melanina, desencadeando a produção descontrolada do pigmento e formando as manchas. 

A partir de um desses gatilhos, começa uma reação em cadeia, e cada tipo de gatilho pode ativar diferentes meios de comunicação celular, levando à formação de marcas mais escuras na pele. 

Tratamento de manchas

Para que o clareamento de pele seja eficiente, os produtos devem agir no maior número possível desses mecanismos ativadores, neutralizando, bloqueando ou regulando a produção de melanina, porém de uma forma inteligente, que não prejudique o desejo natural nem agrida a pele ao ativar esses mecanismos de defesa.

Percebam que essa é uma linha tênue, por isso a necessidade de escolha  por produtos que deem resultado não só pensando no prazo imediato, mas principalmente a longo prazo, para não ocorrer o efeito rebote e a piora do quadro.

Tratamento profissional de manchas da pele

A Extratos da Terra desenvolveu a linha Dermolight, criada com o conceito de tratamentos por camada, cuidando das hipercromias de forma gradual.

Ou seja, à medida que os passos do tratamento são realizados, os produtos agem em locais mais profundos e específicos (o primeiro produto age no estrato córneo, até chegar ao principal, que age diretamente no melanócito). 

No tratamento profissional, os produtos formam um ciclo, agindo em 15 pontos-chaves fundamentais na formação das hipercromias e também reduzindo as já instaladas por diminuir a intensidade das marcas e aumentar a renovação celular, eliminando as células pigmentadas.

Dessa forma, temos um tratamento completo, em que cada passo age em uma determinada camada da pele, atuando sobre os mecanismos locais que causam as hipercromias. Os 15 mecanismos de ação da linha  são:

1 – Inibe a atividade da tirosinase, que participa das duas primeiras reações da síntese de melanina.
2 – Reduz a conversão de tirosina em DOPA, que é a primeira reação da síntese de melanina.
3 – Reduz a síntese da TRP-1, necessária para a produção da melanina marrom.
4 – Regula a MITF, um fator de transcrição que ativa a tirosinase.
5 – Inibe o transporte de melanina dos dendritos para os queratinócitos.
6 – Inibe o depósito de melanina formada nos queratinócitos por inibir a PMEL17.
7 – Inibe a liberação de melanocortina (α-MSH), que é o hormônio estimulante dos melanócitos.
8 – Reduz a produção de radicais livres (ROS).
9- Reduz a produção de endotelina-1 secretada pelos queratinócitos, que ativa a tirosinase e aumenta o tamanho e o número de dendritos.
10 – Inibe a formação de plasmina, que libera o fator de crescimento do melanócito e que ativa a cascata inflamatória, além de estimular o α-MSH.
11 – Promove a detoxificação celular, evitando que resíduos inúteis permaneçam na pele, pois podem ativar o sistema de defesa.
12 – Diminui a comunicação da substância P com o melanócito, evitando o aumento dos dendritos e do transporte de melanina para as células.
13 – Tem ação anti-inflamatória, inibindo a síntese da proteína do estresse e o início da cascata inflamatória.
14 – Limita os efeitos das agressões externas como RUV e poluição.
15 – Aumenta a proteção do tecido, evitando agressões na camada córnea e protegendo-a dos danos da radiação solar.

A linha é um tratamento eficiente que controla a produção de melanina, elimina marcas escuras já instaladas e previne que novas hipercromias se formem.

Além disso, todos os produtos promovem e preservam a hidratação da pele, pois a hidratação faz com que o tratamento seja mais eficiente, que os ativos tenham melhor absorção e que a barreira de proteção fique íntegra, protegendo a pele dos efeitos danosos e dos agentes externos.

Para conhecer os produtos da linha, basta clicar neste link.

Cuidados em casa

Outro fator importante no clareamento de pele é o controle da produção de melanina, que deve ser diário, pois o melanócito, uma vez que é estimulado a produzir melanina, continua produzindo em uma quantidade superior ao normal.

Dessa forma, é necessário enviar uma mensagem diária a ele para que não  produza o pigmento e que está tudo sob controle. 

Isso quer dizer que os cuidados em casa são fundamentais para o sucesso do tratamento em cabine, pois os produtos usados em casa entregam doses diárias pequenas de ativos que auxiliam no controle da produção do pigmento. 

Isso também quer dizer que o tratamento não pode ser interrompido no verão, por exemplo, pois é a época em que mais as pessoas se expõem ao sol, e como vimos o sol é o principal ativador da produção de melanina.

Para conhecer um pouco mais os produtos de uso em casa para o clareamento de pele, acesse outro conteúdo do blog: Manchas na pele: saiba como tratar

Lucimara da Cunha
Engenheira química e cosmetóloga
Analista de marketing e produtos

Limpeza de pele profunda x limpeza de pele diária

Tempo de leitura: 9 minutos

A limpeza de pele diária é o ato de higienizar o rosto de forma adequada. Esse procedimento deve ser realizado todos os dias em casa e com produtos específicos para cada tipo de pele.

Já a limpeza de pele profunda é o procedimento realizado por um profissional, que além da higienização da pele também faz a extração de cravos e espinhas.

Limpeza de pele profunda

Esse procedimento com intervenção profissional deveria ser feito regularmente, independentemente do tipo de pele. Porém, em peles oleosas ou com tendência à acne, a frequência recomendada é maior devido ao fato de a produção de sebo ser mais intensa. 

Os principais benefícios da limpeza de pele profunda são:

  • Remoção de comedões (cravos) e acnes (espinhas)
  • Retirada de milium (pontos brancos e duros formados por queratina)
  • Remoção de impurezas acumuladas na pele, como resíduos de maquiagem e poluição
  • Desobstrução de poros
  • Aumento da oxigenação e da nutrição da pele 
  • Prevenção de cravos e espinhas
  • Normalização do processo de renovação celular
  • Remoção das células mortas depositadas na pele
  • Aumento da absorção de dermocosméticos 
  • Melhora do aspecto geral da pele, principalmente em peles ressecadas e sem viço.

Antes de qualquer tratamento no rosto, as clínicas de estética costumam recomendar a limpeza de pele profunda, pois todos os benefícios citados anteriormente deixam a pele realmente limpa e aumentam a absorção de dermocosméticos utilizados nos tratamentos posteriores. 

Apesar de ser um procedimento simples, a limpeza de pele profunda deve ser realizada por profissionais da área, pois um procedimento inadequado de extração poderá resultar em manchas e até cicatrizes. 

Mesmo que este seja um  tratamento comum, dúvidas sobre o tema são recorrentes, por isso separamos algumas delas para esclarecimento. 

1. Em quais tipos de pele é recomendado fazer a limpeza profunda?

Todos os tipos de pele estão liberados. As pessoas com peles oleosas e acneicas devem fazer o procedimento com maior frequência, já que normalmente apresentam mais cravos e espinhas. 

Nas peles secas, a limpeza aumenta a renovação celular e diminui as células mortas, que dão o aspecto escamoso à pele. 

Em peles sensíveis, o procedimento também pode ser realizado, desde que a profissional use produtos menos irritantes e sensibilizantes. 

2. Pode ser feito em gestantes e lactantes?

Limpeza de pele em gestantes

Sim, o procedimento ajuda a oxigenar e nutrir a pele, e é indicado porque na gestação ocorre uma alteração significativa dos hormônios, que podem ocasionar o aparecimento de cravos e espinhas. 

O importante nesses casos é utilizar produtos que não prejudiquem o bebê e que não contenham ingredientes potencialmente alergênicos, já que a medicação durante a gestação é bem restrita. Na dúvida, questione o fabricante quanto à indicação do procedimento para gestantes.

Dê preferência a produtos livres de trietanolamina e prefira utilizar cremes emolientes em vez da solução emoliente, já que  a solução normalmente é mais sensibilizante. Também não é aconselhável fazer uso de equipamentos eletroterapêuticos em gestantes, como a alta frequência, por exemplo.

3. É possível fazer a remoção de cravos e espinhas em casa?

Diferentemente da limpeza de pele diária, não é aconselhável fazer a extração de cravos e espinhas em casa, pois se o procedimento não for executado de forma correta pode ocasionar manchas, aumentar o processo inflamatório e até deixar cicatrizes que são bem mais difíceis de serem tratadas. A limpeza de pele profunda deve ser feita por um profissional habilitado. 

4. Como aumentar a emoliência de peles mais resistentes?

Existem algumas formas de aumentar a emoliência da pele e assim obter mais facilidade na hora da extração dos cravos, como utilizar conjuntamente um creme emoliente e uma solução emoliente e fazer uso do vapor de ozônio ou então da máscara térmica. 

5. Com que frequência a limpeza de pele profunda deve ser feita?

Quanto a frequência depende muito do tipo e das necessidades de cada pele, mas no geral para peles oleosas a recomendação é de 30 a 60 dias, e para peles normais e secas indica-se realizar a limpeza entre 60 e 90 dias. Após fazer a avaliação, o profissional terá meios mais precisos para essa recomendação.

6. Na limpeza de pele, é necessário remover todas as acnes?

Essa é uma questão que precisa ser avaliada pelo profissional ao realizar o procedimento. Peles não habituadas a passar por esse procedimento frequentemente costumam ter muitos cravos, e retirar todos em uma sessão pode ser dolorido e irritativo para a pele. 

Quanto à remoção das espinhas, nem todas devem ser removidas, visto que em alguns casos a extração pode complicar a inflamação e aumentar a lesão. Nesse caso, utilizar produtos secativos nas lesões é uma solução mais assertiva. Por isso, é tão importante fazer a limpeza de pele com um profissional habilitado. 

7. Qual a diferença entre cravo e milium?

Eles são bem diferentes, desde a sua formação até o processo de extração. O cravo se forma pela obstrução dos poros na acumulação de sebo. Já o milium se forma de dentro para fora, pelo excesso de queratina produzida pelas células, que fica presa na pele e não consegue sair para o meio externo. 

O processo de extração também é diferente, o cravo ou comedão pode ser extraído de forma mais simples, só pela sucção ou pelo processo de pressão na pele. Já o milium precisa ser levemente perfurado com uma agulha estéril para que possa ser extraído. Essa perfuração é necessária porque o milium está preso embaixo da pele e não ligado a um poro, como no caso dos comedões. 

Passo a passo da limpeza de pele profunda

A limpeza de pele profunda segue algumas premissas, como higienizar de forma adequada a pele com sabonetes que retiram as impurezas mas que não ressequem demais, de modo que a pele não fique sensibilizada.

Depois desse primeiro passo, fazer uma esfoliação ajuda a remover as células mortas e diminuir a espessura da camada mais superficial da pele, auxiliando na extração.

Em seguida, vem o processo mais importante na limpeza de pele, a emoliência, pois uma boa emoliência pode tornar o procedimento mais fácil e bem menos doloroso. Para se potencializar a emoliência, pode-se associar dois tipos de produtos: creme emoliente e, na sequência, algodões umedecidos em solução emoliente e colocados sobre a pele. 

Pode-se ainda usar uma fonte de calor para auxiliar na abertura dos poros, que pode ser o vapor de ozônio ou uma máscara térmica. 

Após o tempo de ação dos emolientes, começa a extração, tirando-se os cravos e as espinhas que podem ser removidos. Deve-se ter muito cuidado para não causar nenhum machucado nesse processo, porque pode deixar marcas que a cliente não vai aprovar. 

Alguns recursos como por exemplo a alta frequência podem ser utilizados para acalmar e acelerar a cicatrização. 

Em seguida, é necessário equilibrar o pH da pele para recompor a barreira de proteção. É interessante usar uma loção equilibrante que acalme a pele.

Por último, é preciso acalmar a pele com uma máscara específica para esse fim. Deve-se deixar a máscara agir entre 15 e 20 minutos, em seguida retirar e finalizar com o protetor solar. A Extratos da Terra possui uma linha completa de produtos específicos para limpeza profunda da pele, sendo  livres de trietanolamina e também veganos. Para ver o protocolo completo com os produtos, acesse o link. Confira também todos os benefícios dos produtos da linha Aquaface

Limpeza de pele diária

Limpeza de pele em casa

A limpeza de pele diária é aquela realizada em casa, utilizando-se dermocosméticos indicados para a necessidade de cada tipo de pele. Mesmo que a limpeza profunda seja feita regularmente com um profissional, é importante manter a pele sempre bem higienizada em casa.

O principal benefício é a remoção de sujidades acumuladas na pele, como poluição, maquiagem, fuligem de fumaça de cigarro e excesso de oleosidade. 

Essa rotina, que não deveria ser esquecida por ninguém, também evita a formação de radicais livres, os quais provocam inflamações e o envelhecimento celular.

Confira em nosso site algumas sugestões de produtos para os cuidados essenciais da pele em casa.

Cuidados diários

Para saber mais sobre cuidar da pele em casa acesse o conteúdo: três passos diários para ter a pele bonita todos os dias.

Lucimara da Cunha
Engenheira química e cosmetóloga
Analista de marketing e produtos