acne o que é?

Acne: o que é e como ocorre

Eu tive acne na adolescência, sofria muito com elas, pois eram doloridas, bastantes inflamadas e por muito tempo me deixaram com a autoestima baixa. Muitas vezes, eu ficava infeliz e nem queria sair de casa. Na época, eu tinha medo de como a minha pele iria ficar, se eu iria ficar com muitas cicatrizes ou manchas. Com o tempo, a época da adolescência passou, e eu achei que ia me livrar delas, já que acreditava que era um problema decorrente dos hormônios dessa fase da vida. 

Para minha triste surpresa, a acne voltou a aparecer por volta dos 30 anos, só que agora ela é um pouco diferente. Antes ela estava no rosto todo, e hoje está mais localizada em algumas regiões do rosto, como queixo, e também no pescoço. 

Eu não queria estar me preocupando com isso agora, pois para mim a acne acontecia quando era jovem e que nesse ponto da vida eu iria me preocupar com outros problemas de pele, como as rugas ou manchas que a acne tinha deixado. Agora estou com todos esses problemas e muitas vezes me sinto desmotivada, porque parece que nada que eu faça deixa a minha pele bonita.”

Relatos como esses são mais comuns do que se imagina, já que mais de 50% das mulheres adultas sofrem com a acne, problema causado principalmente pelas alterações hormonais ao longo da vida.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia ressalta que a acne é uma doença e que precisa ser tratada, independentemente da idade da pessoa.

Mas para você entender como tratar a acne, é importante saber como ela é formada e por que aparece, assim fica mais fácil encontrar um tratamento que seja eficaz.

O que é a acne e como se forma na pele?

Acne é uma inflamação que acontece na pele e que é comumente conhecida como espinha. Trata-se de uma inflamação que acontece no folículo piloso e na glândula sebácea. 

O folículo piloso é a estrutura onde o pelo nasce. Esse folículo possui ligação direta com a glândula sebácea, que é responsável por produzir o sebo ou a oleosidade que forma o manto de proteção da pele.   

Existem diferentes tipos de acne, mas todas elas se formam quando ocorre um excesso de produção de sebo. Nos casos da acne inflamada, o sebo entra em contato com os microorganismos, como por exemplo o Propionibacterium acnes e outros que estão presentes na pele.

Essas bactérias provocam uma espécie de irritação da pele e, em consequência, o corpo desenvolve um processo inflamatório para tentar expulsar esses microorganismos, formando então as espinhas. 

Quais são os tipos de acne?

Os tipos mais comuns são a acne não inflamatória e a acne inflamatória. Elas se diferenciam pela gravidade das lesões e podem ser tratadas com cosméticos de tratamento. 

Acne não inflamatória

A acne não inflamatória é mais conhecida pelos cravos ou comedões, que podem ser vistos como pequenos pontos pretos ou brancos na pele.

acne não inflamatória

Eles aparecem pelo excesso de sebo produzido pela glândula sebácea e pela obstrução dos folículos onde o pelo nasce. Ou seja, a oleosidade produzida na glândula sebácea não consegue sair e fica presa nos poros, formando assim os cravos.

Alguns fatores que favorecem a obstrução do folículo piloso são:

  • Produção descontrolada de sebo associada ao excesso de células mortas, que formam uma tampa na pele e impedem a passagem da oleosidade. 
  • Poluição
  • Uso de cosméticos não adequados ou comedogênicos, ou seja, que formam acne

A acne não inflamatória é a menos grave, pois não possui um processo inflamatório. Existem dois tipos: o aberto e o fechado. 

Os cravos abertos são aqueles em que se percebe um ponto escuro na pele. Isso acontece porque, como o nome diz, ele está aberto, em contato com o ar. Por esse motivo, o sebo oxida e fica preto.

Já os cravos fechados se apresentam em forma de pontos brancos, mas sem inflamação. Nesse caso, o sebo fica embaixo da pele devido à obstrução do folículo piloso. Esse tipo de cravo pode se agravar quando existe um desequilíbrio de bactérias da pele, causando uma inflamação e, como resultado, a formação de espinhas. 

Acne inflamatória

acne inflamatória

A acne inflamatória é também conhecida como espinha. Ela é um agravamento dos comedões fechados, pois acontece quando o excesso de sebo que fica preso no folículo entra em contato com bactérias presentes na pele.

Essas bactérias se alimentam desse sebo e provocam um processo inflamatório, formando as espinhas. 

As espinhas são acompanhadas de outras reações como vermelhidão, inchaço no local e, em casos mais graves, deixam o local dolorido e podem causar cicatrizes na pele. 

Diferença entre as acnes adulta e adolescente

Apesar dessa diferença ainda não ser totalmente definida, o que se percebe é que o principal destaque entre a acne na adolescência e na vida adulta são a predominância do tipo de acne e as regiões onde o problema surge. 

acne na adolescência

Na adolescência, não há uma região específica, podendo a acne estar distribuída por toda a face e também nas costas (geralmente nos homens).

O tipo mais comum na adolescência é a acne inflamada, as famosas espinhas. 

Na acne adulta, é comum o aparecimento de grandes comedões abertos e fechados nas seguintes regiões:

acne adulta
  • Nariz
  • Ao redor da boca
  • Queixo 
  • Pescoço e contorno do rosto, próximo ao pescoço

O que causa espinhas no rosto depois dos 30 anos?

Na fase adulta é mais comum ocorrer acne em mulheres e raramente em homens. A causa das espinhas pode estar relacionada ao estresse e ao período pré-menstrual nas mulheres, o que agrava o quadro. 

A acne que persiste da adolescência à vida adulta é mais comum do que as que só aparecem na fase adulta. Nesse último caso, a causa pode estar relacionada ao estresse.

A acne adulta começa a diminuir com a idade acima dos 40 anos, o que provavelmente está relacionado ao período da menopausa. Por outro lado, as sequelas e cicatrizes deixadas não diminuem com o tempo. 

Outra fator que pode levar ao aparecimento da acne é a poluição, já que estamos expostos em média a 500 agentes tóxicos por dia. Essas toxinas permeiam a pele, podendo provocar irritação na camada córnea e alteração da barreira de proteção da pele, o que leva à obstrução dos poros e dos folículos pilosos, ao estresse oxidativo e ao estímulo de substâncias que desencadeiam o processo inflamatório no local, formando as espinhas.  

O que fazer para evitar a acne?

A higienização adequada da pele é a principal prevenção da acne, utilizando sempre produtos específicos para o seu tipo de pele e também higienizantes que desintoxiquem a pele da poluição. 

Outra forma de se evitar a obstrução dos poros e, em consequência, a formação de espinhas é fazer uma esfoliação da pele uma vez na semana, pois, dessa forma, eliminam-se as células mortas e evita-se o tamponamento dos folículos pilosos e dos poros. Por outro lado, se você já tiver acne, evite esfoliação física, pois esse processo pode irritar ainda mais a pele e piorar o quadro. Opte por esfoliantes menos abrasivos, como os enzimáticos ou produtos com leve concentração de ácidos. 

Agora, se você já possui acne, procure produtos específicos para pele acneica que tenham registro da ANVISA e testes de eficácia comprovados no controle da acne. É muito importante fugir de receitas caseiras, pois muitas vezes elas podem agravar ainda mais o quadro e deixar sequelas como manchas e cicatrizes.  

Gostou deste assunto? Conte pra gente nos comentários o que achou e envie suas dúvidas!

Continue acompanhando o nosso blog para mais conteúdos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.