Arquivo da categoria: Conteúdo

Estrutura e função da pele: explicação técnica

A principal função da pele é proteger o corpo contra os agentes externos do ambiente. Por outro lado, também é um meio de expulsar para fora o que está no interior do corpo e que não nos faz bem. E é por isso que a nossa alimentação influencia muito no estado da pele. 

A pele é um tecido vivo e dinâmico que sofre alterações constantes, dependendo de onde vivemos, do que ingerimos, da quantidade de água que consumimos e também do nosso estado emocional. Ela é a conexão do meio externo com o interior do nosso corpo. 

Todos sabemos o que é a pele, sentimos e tocamos nela diariamente. Mas você sabe do que ela é composta?

Você sabe como de fato a pele funciona e o que realmente ela faz em nosso corpo?

Neste post, vamos esclarecer essas perguntas, mostrar como é a pele no seu interior e a importância das principais estruturas que a compõem.

Estrutura e função da pele

Como funciona a pele: estrutura e camadas da pele

A pele é composta por três camadas que estão em constante renovação, sendo elas: 

  1. A epiderme
  2. A derme 
  3. A hipoderme ou camada subcutânea

Vamos conhecer um pouco mais sobre cada uma delas?

A epiderme: para que serve

A pele: as cinco camadas da epiderme

A epiderme é a camada mais superficial da pele e é onde agem os produtos que aplicamos. Essa camada é dividida em outras cinco camadas: basal, espinhosa, granulosa, lúcida e córnea.

O que difere essas cinco subcamadas são as características das células. De uma maneira mais simples, podemos dizer que a diferença principal entre elas é o estágio de vida das células da pele.

Como assim estágio de vida?

Bem, quando as células estão na primeira camada, elas são novinhas e recém-formadas. À medida que vão subindo para a superfície, elas vão ficando mais velhas, mais achatadas e formando espécies de escamas, até chegar na superfície, quando então vão formar o estrato córneo. Aqui nesse estágio elas já são células mortas, que constituem  a nossa película de proteção. 

Esse estágio de renovação da pele acontece entre 15 e 30 dias, dependendo da idade da pessoa. Ao passo que envelhecemos, esse processo vai ficando mais lento, e é por isso que percebemos a pele envelhecida, com a formação de rugas e de flacidez, que vão aumentando com a idade.

Vamos entender melhor esse ciclo de vida das células da epiderme?

A primeira camada, a mais profunda da epiderme, denomina-se camada basal. É nela que as células “nascem”, ou fisiologicamente falando, onde elas se dividem em um processo de multiplicação celular –, uma célula antiga dá origem a uma nova célula. Essa camada é responsável pela constante renovação da pele. 

Fazendo uma comparação com a nossa vida, esse estágio das células da pele seria como a fase dos bebês.

Na camada basal, existe também uma célula muito importante para a nossa proteção que é o melanócito. Ele é responsável por produzir um pigmento chamado melanina,  responsável por dar cor à pele. A melanina é a proteção natural da pele contra a radiação solar. Ou seja, ela protege as células dos danos provocados pelo sol. 

A segunda camada é a espinhosa, que corresponderia à nossa fase de infância e adolescência, uma fase de pleno desenvolvimento. Aqui as células começam a ficar mais achatadas e mais espalhadas. Nessa camada, acontece um processo de defesa contra agentes estranhos que conseguem penetrar nas camadas mais superficiais. É também na segunda camada que se desenvolvem as dermatites alérgicas de contato. 

A terceira camada é a granulosa, e agora já estamos na vida adulta. Nessa camada, as células já estão bem mais achatadas, e é aqui que são produzidas substâncias que formam a barreira de proteção impermeável da pele. Isso faz com que não percamos a água que está na nossa pele por evaporação e também faz com que a  água que está no exterior não seja absorvida pela pele.

Já imaginou entrar em uma piscina e o seu corpo sugar a água para dentro da pele?

Isso não é possível devido a essa barreira impermeável que a pele forma. 

A quarta camada é a lúcida, e já podemos comparar essa fase com a fase madura da vida, na qual  estamos mais velhinhos e já não temos tanta energia. Isso porque as células dessa camada já não têm mais núcleo e possuem um formato de  escama, sendo envoltas por queratina. Aqui, começa a se formar uma fina camada compacta que faz a proteção da pele e que é chamada de manto hidrolipídico, ou hidratação natural da pele. 

A quinta e última camada é o estrato córneo. Essa é a camada mais superficial, é a que conseguimos ver. Aqui as células já não têm mais vida, estão envoltas em material graxo, ceramidas e queratina, que formam  uma película protetora para que nada que esteja no exterior passe por ela.

De tempos em tempos, as células mais superficiais vão se desprendendo e sendo eliminadas naturalmente, enquanto outras células ocupam o seu lugar, e assim a pele permanece sempre bonita e lisa.

Por outro lado, quando envelhecemos, ou quando o nosso processo de renovação celular não é eficiente, muitas dessas células mortas não se desprendem, vão acumulando e formando uma camada espessa.

Para evitar que isso aconteça é que surgiu a esfoliação, que nada mais é do que facilitar a eliminação dessas células mortas que ficam depositadas na pele e que impedem que os produtos cosméticos aplicados possam ser absorvidos. Entenda mais sobre a importância da esfoliação aqui.  

As outras camadas – derme e hipoderme – constituem a pele por completo. Vamos conhecer um pouco mais cada uma delas? 

Derme: para que serve?

A derme é a camada posicionada logo abaixo da camada basal. Nela encontramos as conhecidas fibras de colágeno e elastina.

Essas fibras têm a função de dar sustentação à nossa pele. Digamos que elas são os pilares da epiderme, são as estruturas que seguram a pele e a mantêm firme e lisa.

Porém, com o passar dos anos, as células que produzem essas fibras vão ficando envelhecidas e já não produzem mais fibra de qualidade sozinhas, quando então começam a aparecer os sinais da idade, tais como rugas e flacidez. 

Outra função da derme é levar os nutrientes para a epiderme, já que nessa camada estão presentes os vasos sanguíneos. 

Também na derme temos o folículo piloso. Essa estrutura é o casulo do nosso pelo, é onde ele nasce e cresce. Esse folículo tem a sua base na derme e continua até a epiderme, dando condições de o pêlo e o cabelo saírem da pele. 

Junto com o folículo, temos outra estrutura importante que é a glândula sebácea. Ela é responsável por produzir o óleo que mantém a pele hidratada. Por outro lado, quando produz uma quantidade muito elevada, provoca o aspecto indesejado da pele oleosa e também o aparecimento da acne.

Hipoderme: para que serve?

A hipoderme não é mais considerada uma camada da pele, isso porque ela fica embaixo da pele, dando sustentação e suporte para toda a derme e a epiderme. 

A hipoderme tem como principal função armazenar energia, regular a temperatura e absorver o impacto. Dessa forma, quando sentimos alguma batida na pele, ela absorve o impacto e impede que os órgãos internos do corpo sejam danificados. 

A pele é um dos órgãos mais importantes para a vida e a proteção do corpo. Por isso, invista um tempinho para cuidar da sua pele, afinal ela é o nosso cartão-postal. 

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe com quem você acha que também poderia gostar. Ah, e se tiver qualquer dúvida, pergunte aqui que logo responderemos 😉

Instagram: https://www.instagram.com/extratosdaterra/
Facebook: https://www.facebook.com/extratosdaterra/
Youtube: https://www.youtube.com/ExtratosdaTerra
Nosso site: https://extratosdaterra.com.br/

Acne: o que é e como ocorre

Eu tive acne na adolescência, sofria muito com elas, pois eram doloridas, bastantes inflamadas e por muito tempo me deixaram com a autoestima baixa. Muitas vezes, eu ficava infeliz e nem queria sair de casa. Na época, eu tinha medo de como a minha pele iria ficar, se eu iria ficar com muitas cicatrizes ou manchas. Com o tempo, a época da adolescência passou, e eu achei que ia me livrar delas, já que acreditava que era um problema decorrente dos hormônios dessa fase da vida. 

Para minha triste surpresa, a acne voltou a aparecer por volta dos 30 anos, só que agora ela é um pouco diferente. Antes ela estava no rosto todo, e hoje está mais localizada em algumas regiões do rosto, como queixo, e também no pescoço. 

Eu não queria estar me preocupando com isso agora, pois para mim a acne acontecia quando era jovem e que nesse ponto da vida eu iria me preocupar com outros problemas de pele, como as rugas ou manchas que a acne tinha deixado. Agora estou com todos esses problemas e muitas vezes me sinto desmotivada, porque parece que nada que eu faça deixa a minha pele bonita.”

Relatos como esses são mais comuns do que se imagina, já que mais de 50% das mulheres adultas sofrem com a acne, problema causado principalmente pelas alterações hormonais ao longo da vida.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia ressalta que a acne é uma doença e que precisa ser tratada, independentemente da idade da pessoa.

Mas para você entender como tratar a acne, é importante saber como ela é formada e por que aparece, assim fica mais fácil encontrar um tratamento que seja eficaz.

O que é a acne e como se forma na pele?

Acne é uma inflamação que acontece na pele e que é comumente conhecida como espinha. Trata-se de uma inflamação que acontece no folículo piloso e na glândula sebácea. 

O folículo piloso é a estrutura onde o pelo nasce. Esse folículo possui ligação direta com a glândula sebácea, que é responsável por produzir o sebo ou a oleosidade que forma o manto de proteção da pele.   

Existem diferentes tipos de acne, mas todas elas se formam quando ocorre um excesso de produção de sebo. Nos casos da acne inflamada, o sebo entra em contato com os microorganismos, como por exemplo o Propionibacterium acnes e outros que estão presentes na pele.

Essas bactérias provocam uma espécie de irritação da pele e, em consequência, o corpo desenvolve um processo inflamatório para tentar expulsar esses microorganismos, formando então as espinhas. 

Quais são os tipos de acne?

Os tipos mais comuns são a acne não inflamatória e a acne inflamatória. Elas se diferenciam pela gravidade das lesões e podem ser tratadas com cosméticos de tratamento. 

Acne não inflamatória

A acne não inflamatória é mais conhecida pelos cravos ou comedões, que podem ser vistos como pequenos pontos pretos ou brancos na pele.

acne não inflamatória

Eles aparecem pelo excesso de sebo produzido pela glândula sebácea e pela obstrução dos folículos onde o pelo nasce. Ou seja, a oleosidade produzida na glândula sebácea não consegue sair e fica presa nos poros, formando assim os cravos.

Alguns fatores que favorecem a obstrução do folículo piloso são:

  • Produção descontrolada de sebo associada ao excesso de células mortas, que formam uma tampa na pele e impedem a passagem da oleosidade. 
  • Poluição
  • Uso de cosméticos não adequados ou comedogênicos, ou seja, que formam acne

A acne não inflamatória é a menos grave, pois não possui um processo inflamatório. Existem dois tipos: o aberto e o fechado. 

Os cravos abertos são aqueles em que se percebe um ponto escuro na pele. Isso acontece porque, como o nome diz, ele está aberto, em contato com o ar. Por esse motivo, o sebo oxida e fica preto.

Já os cravos fechados se apresentam em forma de pontos brancos, mas sem inflamação. Nesse caso, o sebo fica embaixo da pele devido à obstrução do folículo piloso. Esse tipo de cravo pode se agravar quando existe um desequilíbrio de bactérias da pele, causando uma inflamação e, como resultado, a formação de espinhas. 

Acne inflamatória

acne inflamatória

A acne inflamatória é também conhecida como espinha. Ela é um agravamento dos comedões fechados, pois acontece quando o excesso de sebo que fica preso no folículo entra em contato com bactérias presentes na pele.

Essas bactérias se alimentam desse sebo e provocam um processo inflamatório, formando as espinhas. 

As espinhas são acompanhadas de outras reações como vermelhidão, inchaço no local e, em casos mais graves, deixam o local dolorido e podem causar cicatrizes na pele. 

Diferença entre as acnes adulta e adolescente

Apesar dessa diferença ainda não ser totalmente definida, o que se percebe é que o principal destaque entre a acne na adolescência e na vida adulta são a predominância do tipo de acne e as regiões onde o problema surge. 

acne na adolescência

Na adolescência, não há uma região específica, podendo a acne estar distribuída por toda a face e também nas costas (geralmente nos homens).

O tipo mais comum na adolescência é a acne inflamada, as famosas espinhas. 

Na acne adulta, é comum o aparecimento de grandes comedões abertos e fechados nas seguintes regiões:

acne adulta
  • Nariz
  • Ao redor da boca
  • Queixo 
  • Pescoço e contorno do rosto, próximo ao pescoço

O que causa espinhas no rosto depois dos 30 anos?

Na fase adulta é mais comum ocorrer acne em mulheres e raramente em homens. A causa das espinhas pode estar relacionada ao estresse e ao período pré-menstrual nas mulheres, o que agrava o quadro. 

A acne que persiste da adolescência à vida adulta é mais comum do que as que só aparecem na fase adulta. Nesse último caso, a causa pode estar relacionada ao estresse.

A acne adulta começa a diminuir com a idade acima dos 40 anos, o que provavelmente está relacionado ao período da menopausa. Por outro lado, as sequelas e cicatrizes deixadas não diminuem com o tempo. 

Outra fator que pode levar ao aparecimento da acne é a poluição, já que estamos expostos em média a 500 agentes tóxicos por dia. Essas toxinas permeiam a pele, podendo provocar irritação na camada córnea e alteração da barreira de proteção da pele, o que leva à obstrução dos poros e dos folículos pilosos, ao estresse oxidativo e ao estímulo de substâncias que desencadeiam o processo inflamatório no local, formando as espinhas.  

O que fazer para evitar a acne?

A higienização adequada da pele é a principal prevenção da acne, utilizando sempre produtos específicos para o seu tipo de pele e também higienizantes que desintoxiquem a pele da poluição. 

Outra forma de se evitar a obstrução dos poros e, em consequência, a formação de espinhas é fazer uma esfoliação da pele uma vez na semana, pois, dessa forma, eliminam-se as células mortas e evita-se o tamponamento dos folículos pilosos e dos poros. Por outro lado, se você já tiver acne, evite esfoliação física, pois esse processo pode irritar ainda mais a pele e piorar o quadro. Opte por esfoliantes menos abrasivos, como os enzimáticos ou produtos com leve concentração de ácidos. 

Agora, se você já possui acne, procure produtos específicos para pele acneica que tenham registro da ANVISA e testes de eficácia comprovados no controle da acne. É muito importante fugir de receitas caseiras, pois muitas vezes elas podem agravar ainda mais o quadro e deixar sequelas como manchas e cicatrizes.  

Gostou deste assunto? Conte pra gente nos comentários o que achou e envie suas dúvidas!

Continue acompanhando o nosso blog para mais conteúdos!

O que são prebióticos e como eles podem trazer benefícios para a pele?

Prebióticos na composição de dermocosméticos é cada vez mais comum, mas você sabe o que são e qual a sua importância para a pele?

De forma resumida, os prebióticos promovem um ambiente favorável ao desenvolvimento de micro-organismos responsáveis pela proteção da pele e que fazem bem ao nosso corpo. Com o aumento desses micro-organismos, ocorre a diminuição das taxas de micro-organismos considerados prejudiciais à pele e que podem provocar o processo inflamatório e o aparecimento de acne, por exemplo.

A pele humana é rica em micro-organismos essenciais para a saúde. Para se ter noção do que isso significa, um centímetro quadrado de pele pode conter até um bilhão deles. Esses micro-organismos são chamados de microbioma cutâneo. A maior parte já é adquirida no nascimento e está diretamente relacionada à saúde do corpo em sua totalidade. Esses microrganismos são divididos em dois grupos, os benéficos e os patogênicos. Os patogênicos são aqueles que podem provocar algum tipo de reação não desejada na pele, como acne, alergias ou outras doenças referentes à derme. Já os benéficos são aqueles que ajudam a proteger a barreira de proteção da pele e compõem o principal fator de proteção da imunidade, ficando na camada cutânea mais superficial. Quando ocorre algum tipo de desequilíbrio dessa microbiota, como os provocados pela poluição do ar, má alimentação, sabonetes muito agressivos que ressecam a pele, entre outros, algumas bactérias podem se comportar de forma diferente do que o normal. Muitas delas vivem normalmente na pele sem causar nenhum problema, porém, quando ocorre esse desequilíbrio do microbioma, algumas bactérias podem causar irritações e inflamações. Um exemplo é o que acontece com a bactéria da acne, que está presente na pele íntegra, mas, quando o quadro de acne está instalado, essa bactéria passa a ser mais potente e patogênica, provocando o processo de inflamação.

Um grande erro que pessoas com pele oleosa cometem é lavar várias vezes o rosto durante o dia, o que deixa a barreira de proteção prejudicada e pode causar ou piorar o quadro de acne ou irritação cutânea. Não é preciso lavar a pele facial mais do que duas vezes ao dia e é importante usar hidratantes e sabonetes indicados ao seu tipo de pele, além de ser indicado aplicar e reaplicar diariamente o filtro solar. Para ajudar nesse controle da barreira cutânea é que surgiram os prebióticos, que, como mencionado anteriormente, favorecem o desenvolvimento de bactérias boas que protegem o organismo e diminuem o número de bactérias prejudiciais à pele.

Dermocosmético com prebióticos

O Sérum Multissolução da linha Dermosoft Antiacne foi desenvolvido para controlar o processo inflamatório e o excesso de oleosidade, bem como para hidratar e fortalecer a barreira de proteção da pele. Esse sérum é um exemplo de produto que utiliza o benefício dos prebióticos graças ao Bioecolia®, promovendo o desenvolvimento de micro-organismos bons e equilibrando o crescimento das bactérias que agravam a formação da acne. Além disso, esse prebiótico estimula os peptídeos antimicrobianos essenciais que auxiliam na manutenção do equilíbrio microbiano.

O Sérum Multissolução é ideal para peles acneicas, pois, além de controlar as reações indesejadas que essa pele apresenta, como o vermelhidão, a inflamação e o excesso de oleosidade, também hidrata, restabelecendo o equilíbrio da barreira cutânea e do microbioma, que, como vimos, é muito importante para manter a saúde da pele e do organismo em seu conjunto.   

Dessa forma, manter a barreira de proteção da pele é fundamental para evitar o desequilíbrio do microbioma cutâneo e reações alérgicas, irritações e inflamações como a acne.  Um das principais medidas que podemos tomar para garantir a proteção da pele é sempre mantê-la hidratada, independentemente se sua pele é oleosa ou seca. A hidratação é fundamental para manter a saúde da pele, manter o pH ideal e fortalecer o sistema imunológico.

Se você ficou interessada em entender um pouco mais sobre o microbioma cutâneo, tem uma matéria inteirinha falando sobre isso na Revista de Negócios da Indústria Estética, edição temática sobre Mibrobioma cutâneo.  

COMO CUIDAR DA PELE: 3 PASSOS DIÁRIOS PARA TER A PELE SEMPRE BONITA

Se você tem dúvida sobre como cuidar da pele, vamos esclarecer quais são os três passos diários que você precisa inserir na sua rotina para ter a pele sempre bonita.

Começar a cuidar da pele pode gerar muitas dúvidas, mas é bom começar com poucos passos, assim você vai pegando o hábito e gostando desse tempo dedicado a si mesma. 

Para começar a cuidar da pele, inicie com o básico, fazendo a limpeza adequada, hidratando o rosto e protegendo a pele do sol. Acredite, esse já é um grande passo para deixar a pele saudável.

Além do que, quanto antes você começar a cuidar da sua pele, mais tarde os sinais do envelhecimento vão aparecer.

E sabe o que é mais legal? Que essa rotina pode ser simples e rápida, basta usar os produtos adequados para o seu tipo de pele.

Se você está disposta a começar a cuidar da pele da forma correta, comece entendendo por que esses três passos são fundamentais.

Como cuidar da pele: o primeiro passo é limpar

Limpar a pele de forma adequada remove todas as impurezas que são acumuladas durante o dia. 

Esse processo de higienização retira o excesso de oleosidade, a poluição do meio ambiente e os resíduos de produtos como maquiagem que ficam depositados na pele. 

A limpeza facilita a oxigenação das células e também aumenta a eficácia dos hidratantes ou produtos de tratamento que serão usados depois.

Além disso, uma limpeza adequada e com os produtos certos deixa a pele mais saudável e ainda mantém a maquiagem fixa por mais tempo.

Como limpar a pele de forma adequada

Antes de mais nada, se estiver usando maquiagem, retire-a com um demaquilante. 

Quem aprecia maquiagem sabe a importância que ela tem no seu dia a dia e não vive sem. Porém, para manter a pele saudável, é de extrema importância utilizar demaquilantes que retirem todo os resíduos de base ou pó no fim do dia. Esse pequeno gesto evita a obstrução dos poros e a formação de acne derivada de produtos cosméticos.

Muitas pessoas pulam esse passo, achando que o sabonete é suficiente. Mas não é, pois esses produtos de maquiagem normalmente precisam de algo específico para serem retirados completamente da pele.

Quer comprovar? Passe um algodão umedecido no rosto após tirar a maquiagem sem demaquilante. Você vai se surpreender!

limpar a pele

Depois lave o rosto com produtos adequados ao seu tipo de pele utilizando um sabonete que seja adequado para as necessidades do seu rosto.

O sabonete removerá qualquer resíduo que ainda possa ter ficado na pele, limpando-a de forma completa. 

Além de higienizar, alguns sabonetes têm outras funções secundárias que normalmente estão relacionadas ao tipo de pele para os quais esses produtos são indicados. 

Como cuidar da pele: o segundo passo é a hidratação

Para cuidar da pele de forma correta, após limpar o rosto o passo seguinte é hidratar.

Essa ação previne o envelhecimento, mantém a pele saudável e com a barreira de proteção fortalecida contra os agentes externos, como por exemplo, a poluição e mudanças de temperatura. 

A pele bem hidratada evita a permeação de agentes poluentes que estão no ar e que podem provocar vários outros problemas como acnes, manchas e rugas. 

E todos os tipos de pele precisam ser hidratados, sem exceção. O hidratante diário pode ser um creme, gel-creme, sérum ou outro produto que você já use, ou pode usar, para tratar a sua pele ao mesmo tempo que hidrata. Lembre-se sempre de buscar um produto indicado para o seu tipo de pele.  

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, a pele oleosa também precisa ser hidratada.

Isso mesmo, peles oleosas têm uma produção excessiva de óleo, mas só isso não garante a hidratação. Por isso, busque sempre um hidratante específico para peles oleosas.

E pior, quando as pessoas têm pele oleosa costumam lavar muitas vezes o rosto, deixando a pele desidratada, e isso faz com que mais óleo seja produzido para equilibrar a barreira de proteção, virando um ciclo vicioso.

Como cuidar da pele: o terceiro passo é a proteção solar

O último passo dessa rotina diária de cuidados com a pele é a proteção solar. Ela é fundamental para manter a pele saudável e sempre bonita. 

Isso porque os raios solares são os principais causadores de problemas na pele como manchas, envelhecimento, perda da elasticidade e do colágeno e até casos mais graves como o câncer de pele. E os efeitos são cumulativos na pele, por exemplo, o sol em excesso e sem proteção ao qual  você fica exposto na adolescência reflete em como será a sua pele na vida adulta.  

Esses problemas acontecem devido aos dois tipos de radiação que são emitidos pelo sol, UVA e UVB.

A radiação UVA é constante durante todo o dia e penetra de forma mais profunda na pele. É a principal responsável pelo envelhecimento precoce, causando enfraquecimento das fibras de colágeno e elastina, favorecendo o aparecimento de rugas, linhas de expressão, flacidez e manchas antes do tempo. Esses raios podem também provocar o câncer de pele.

Por outro lado, a radiação UVB penetra mais superficialmente na pele, é responsável pelas queimaduras solares e também pode causar alterações nas células que levam ao câncer de pele.

Como escolher o protetor solar correto?

Primeiramente, confira se o protetor possui fator de proteção solar contra os raios UVA e UVB. Você pode identificar isso sempre na frente da embalagem, na qual aparecem  dois números. O mais conhecido, e normalmente com mais destaque, é o FPS, que é a proteção contra os raios UVB. O outro é o FPUVA, que identifica a proteção contra os raios UVA.

Outro detalhe importante é que, pela legislação da ANVISA, o FPUVA sempre deve ser no mínimo ⅓ do FPS, e quanto maior, melhor. Ou seja, se o FPS é 50, dividimos esse valor por 3 e sabemos que o FPUVA deve ser no mínimo 16,66. É bom sempre conferir essa informação.

E na hora de escolher um protetor, pense nas necessidades de proteção da sua pele. Por exemplo, peles mais claras, por terem menos melanina (pigmento que dá cor e protege a pele) possuem uma proteção natural menor do que peles escuras, por isso o recomendado é utilizar protetores de FPS mais alto e de no mínimo 30. Os dermatologistas costumam recomendar para esse tipo de pele um FPS 50 ou maior. 

proteger a pele do sol

Peles escuras são naturalmente mais resistentes aos raios UVB e normalmente não ficam vermelhas após a exposição ao sol. Mas isso não significa que não precisam de proteção, pois vale lembrar que a radiação UVA penetra profundamente na pele e causa inúmeras alterações nas células. Portanto, a proteção mínima recomendada para peles mais escuras é de FPS 15, porém o ideal é fazer uso do FPS 30, de forma a garantir uma proteção mais completa da pele. 

Seguindo esses três passos, você vai manter a pele cuidada e saudável, retardando o aparecimento dos sinais da idade. 

E lembre-se, para cada pele existe uma solução específica.

Entendendo a gordura localizada

A gordura localizada é o resultado do acúmulo de energia que não foi gasta pelo corpo e que é armazenada em forma de gordura em algumas regiões.

Em primeiro lugar, essa energia vem da ingestão de alimentos como carboidratos, proteínas e gorduras consumidas em uma quantidade maior do que as necessidades do corpo. Em consequência, o organismo entende que precisa guardar uma reserva para quando, por algum motivo, você deixar de se alimentar. Esse processo é um instinto natural de sobrevivência.

Por isso, constantemente o excesso de energia se transforma em células de gordura, que ficam armazenadas no tecido adiposo. O acúmulo dessa gordura em determinados locais dá origem à gordura localizada, que acaba incomodando e afetando a autoestima. 

Imagem representativa da gordura localizada
Onde os pontos da imagem representam:
1- O tecido adiposo
2 – A célula de gordura (adipócito)

Por outro lado, alguns fatores externos também favorecem a formação da gordura localizada, tais como:

  • Má postura, que deforma o contorno corporal
  • Excesso de peso devido ao alto consumo de calorias
  • Falta de exercícios físicos, que faz com que as calorias em excesso não sejam gastas. 

Por que a gordura localizada se acumula em regiões específicas?

As regiões de acúmulo de gordura se diferem conforme o sexo: 

regiões de acumulo de gordura localizada no homens e na mulher
  • Nas mulheres, ocorre principalmente no quadril e nas coxas
  • Nos homens, acontece na região da barriga

Essa diferença de localização da gordura localizada em homens e mulheres acontece principalmente pelos hormônios que favorecem o armazenamento de gordura e que são diferentes em cada um desses grupos.

Por exemplo, nos homens o principal hormônio responsável pelo armazenamento de gordura é o cortisol. Ele está em maior quantidade nesse grupo do que nas mulheres. Esse hormônio é como uma chave que abre as células adiposas do abdômen para que a gordura entre. Em consequência, tem-se um maior acúmulo nessa região. 

O estrogênio, hormônio predominante nas mulheres, tem a chave para abrir as células de gordura e direcionar o armazenamento para coxas e quadril. Além da gordura localizada que se apresenta nessa região, as mulheres sofrem com a formação da celulite, consequência do aumento do tamanho das células de gordura. 

Além disso, essas diferenças de locais de armazenamento de gordura também estão relacionadas às funções fisiológicas e até naturais dos homens e das mulheres. Isso porque o tecido adiposo (que armazena a gordura), além de ter a função de reserva energética,  protege órgãos vitais, fazendo a proteção mecânica em regiões como a abdominal, e serve como um isolante térmico do organismo. Por isso, esses órgãos ficam predominantemente no abdômen. Já nas mulheres, as coxas e o quadril são regiões de suporte importante para a reprodução e a gravidez.

Gordura localizada: como ocorre?

Bom, já sabemos o que é a gordura localizada e também por que ela fica em regiões diferentes nos homens e nas mulheres. Agora vamos entender como as calorias se transformam em gordura.

Primeiramente, para que as calorias se transformem em uma molécula de gordura, é necessária a interação de dois fatores principais: as enzimas e os hormônios. 

Como isso acontece?

Primeiramente, é preciso que as proteínas, os carboidratos ou os lipídeos excedentes da dieta se transformem em moléculas de glicose, que é a energia usada pelo corpo. Depois, a glicose transforma- em triglicérides, que são então armazenadas nas células de gordura e constituem a nossa reserva energética. 

Esse processo de conversão de glicose para triglicerídeos ocorre com a ajuda de uma enzima chamada de fosfodiesterase. Veja a sequência desse processo na imagem abaixo

Processo de conversão da glicose em gordura.
Processo de conversão da glicose em gordura.

Ou seja, a glicose em excesso “encontra-se” com a enzima fosfodiesterase, que se transforma em triglicerídeos. Os hormônios então direcionam os triglicerídeos para as células de gordura. O acúmulo consequente gera a gordura localizada. 

Como perder a gordura localizada?

Para diminuir a gordura localizada, em primeiro lugar é necessário o consumo de menos calorias do que o corpo precisa, ou então um maior gasto do que o consumido pela alimentação. Dessa forma, o corpo vai precisar usar aquela reserva energética que está nas células de gordura. 

Para usar essa gordura , é preciso fazer o caminho inverso, transformando os triglicerídeos em fonte de energia, que é chamada ATP.

Para que ocorra esse processo, os triglicerídeos se “encontram” com outra enzima chamada HS Lipase, gerando com isso ácido graxo e glicerol (lipólise). Na sequência, o ácido graxo e o glicerol vão para a corrente sanguínea, ficando disponível para as células poderem produzir o ATP ou a energia celular. 

A concentração de HS Lipase é estimulada por outra molécula, a AMPc, que está constantemente sendo produzida e inativada conforme as necessidades do corpo. 

Em resumo, quando o corpo precisa de energia e não tem uma fonte disponível, os triglicerídeos que estão nas células de gordura, transformam-se em ácidos graxos e glicerol e vão para na corrente sanguínea. Essas duas moléculas então serão usadas para fornecer a energia necessária. 

Como agem os dermocosméticos redutores?

Como vimos, o corpo usa as fontes de energia que estão armazenadas nas células de gordura. Porém sempre vai buscar primeiro a gordura de mais fácil acesso, que normalmente não é aquela das regiões como culote, abdômen, coxas e braços. Como mencionado, essas reservas são também estratégicas para a proteção do organismo. 

Nesse sentido, os dermocosméticos entram para dizer ao corpo que a fonte de energia de que ele precisa é aquela do local de aplicação do produto. 

E como eles fazem isso?

Bom, cada produto tem a sua forma de ação, mas de modo geral, os produtos redutores estimulam a quebra das células de gordura para se transformar em ácido graxo e glicerol, deixando essas moléculas preparadas para serem usadas como energia. Assim, quando o corpo precisa, vai usar essa energia que está ali de fácil acesso. 

Antes (imagem a esquerda) e depois (imagem a direita)

Por outro lado, se a sua dieta energética é maior do que o gasto, essas moléculas voltam a se transformar em células de gordura. Em outras palavras, para perder medidas é necessário ter um consumo de calorias menor do que o gasto diário, ou um aumento energético com atividades físicas para que o corpo use essa energia sobrando e não ocorra rearmazenamento. 

Portanto, os dermocosméticos são os facilitadores do consumo da energia armazenada no local de aplicação do produto. Assim, o corpo vai usar aquela reserva energética específica de difícil remoção sozinha, e não de uma outra região. 

Por fim, fica a reflexão: perder medidas é uma conta simples de reduzir as calorias ingeridas para aumentar a queima da gordura armazenada.

Por outro lado, o processo para que isso aconteça é complexo e envolve muitos outros fatores como hormônios, enzimas e diversos mensageiros químicos que não abordamos aqui e que ficam para um próximo post 😉

Agora nos conte: o que você achou do conteúdo? Você já sabia como a gordura localizada se forma no corpo? 

Manchas na pele: Saiba como tratar

Manchas ou marcas escuras da pele, como são conhecidas as hipercromias, são um dos problemas que mais afetam a aparência feminina. 

Elas decorrem de diversas causas e estão relacionadas principalmente a fatores hormonais (uso de anticoncepcional, gravidez, entre outros) e exposição ao sol.

Primeiramente, vamos ver quais são os tipos de manchas:

  • marcas solares, devido ao excesso de exposição ao sol sem proteção
  • marcas senis, decorrentes da idade; 
  • as marcas pós-inflamatórias, que ocorrem depois de algum processo inflamatório na pele, como acne; e
  • melasma, que está relacionado na maioria das vezes a fatores hormonais e exposição ao sol.

Então, como agora você já sabe os tipos de manchas, vamos falar da origem dessas marcas escuras. Elas aparecem devido a produção descontrolada de um pigmento produzido pela nossa pele que se chama melanina.

A principal função da melanina é proteger o DNA das células contra os radicais livres e o estresse causados principalmente pela exposição à radiação solar e por processos inflamatórios. Sendo assim, quanto mais exposição ao sol ou quanto mais agredida a pele for, mais melanina produzirá para se proteger e maiores serão as chances do aparecimento de marcas indesejadas.

Por isso, é sempre bom prevenir a formação de manchas, tomando alguns cuidados para proteção contra os efeito danosos do sol. Por outro lado, se as marcas já apareceram na pele, a baixo temos umas dicas de como tratar em casa.

Como tratar as manchas na pele?

As marcas escuras aparecem normalmente em áreas expostas ao sol. Para clarear a pele de regiões como rosto, pescoço e mãos, principalmente o melasma, é necessário proteger a pele diariamente com protetor solar e usar produtos que fazem o controle da produção de melanina. 

Nessa tentativa de acabar com as manchas, muitas pessoas procuram por receitas caseiras, e aí é que mora o perigo, já que muitas dessas dicas não só não funcionam como também podem gerar marcas ainda maiores na pele. 

Então, se você quiser clarear a pele de forma efetiva e segura, nós da Extratos da Terra recomendamos a linha Dermolight, que é uma linha de clareamento de pele desenvolvida para tratar as diferentes marcas escuras existentes – melasma, pós-inflamatórias e solares.

A linha também auxilia no clareamento de marcas da idade tanto de regiões como rosto, pescoço, colo, mãos, entre outras. Possui produtos para uso de profissionais de estética, mas também contempla produtos para tratar as manchas em casa.

Tanto  os produtos profissionais como os para uso em casa agem da mesma forma em 15 pontos-chaves da formação das marcas escuras e também reduzem as marcas já presentes na pele.  

Como diminuir as manchas em casa?

Você pode tratar as manchas em casa, mas é muito importante monitorá-las e, se observar frequentes alterações em textura ou tamanho. Também é aconselhável procurar um médico para melhor diagnosticar o tipo de mancha, ok?

O tratamento home care é simples e rápido, pois concentra todos os benefícios necessários para o tratamento em apenas três produtos diários e de uso constante. 

Mas, a linha também conta dois potencializadores no processo de clareamento:

  • Máscara iluminadora, para uso de uma a duas vezes na semana
  • Clareador pontual, para aquelas manchas que são mais resistentes como o melasma, devendo usa-lo somente nos locais com esse tipo de mancha.

Dessa forma, esses produtos entregam diariamente doses constantes de ativos que promovem o clareamento da pele e evitam a formação de novas manchas.

Vamos aprender como usar os produtos?

Primeiramente, não se preocupe, a forma de usar é simples, sem complicações, e vou explicar o porquê de usar cada um dos produtos. Então, que tal começar hoje mesmo a tratar as marcas que te incomodam?

Para começar, a rotina de cuidados diários é composta por três passos e 2 que podem ser opcional e potencializadores. São eles:

  1. Limpar a pele com a espuma de limpeza
  2. Aplicar o sérum de controle das manchas
  3. Aplicar o protetor solar clareador

Mas, para quem tem manchas mais resistentes, poderá compor seu tratamento com mais dois produtos.

  1. sérum pontual, após limpar a pele com a espuma
  2. Máscara iluminadora de uma a duas vezes na semana após a limpeza com a espuma e antes do sérum pontual.

Confira como é o passo a passo completo.

Passo 1: limpeza e esfoliação

Primeiramente, vamos limpar a pele como a GlycoAcid Detox e secar bem.

Por que devo usar a GlycoAcid Detox?

Essa espuma prepara a pele para que os outros produtos consigam ter o máximo de eficiência.

Além disso, limpa e diminui a espessura da camada mais superficial da pele, ajudando a eliminar as células mortas que já estão pigmentadas.

Passo extra: potencializando o tratamento

A Máscara Iluminadora não precisa ser usada todos os dias, apenas de 1 a 2 vezes por semana. Passe de forma uniforme por todo o rosto ou, se preferir, use só nas manchas mais evidentes após limpar o rosto. Deixe agir por 15 minutos e retire. Seque bem a pele na sequência.

Por que devo usar a Máscara Iluminadora?

A máscara aumenta a hidratação da pele e você vai perceber o clareamento mais rápidos.

Ela também possui ingredientes que ajudam a controlar a formação de novas manchas.

Passo opcional: clareamento pontual em marcas mais resistentes

Se tiver marcas escuras resistentes ou mais destacadas, aplique o clareador pontual Nanospot somente sobre essas marcas após limpar a pele com a espuma. Deixe absorver e não retire.

Por que devo usar Nanospot?

O Nanospot é para aqueles casos em que as manchas são localizadas e mais intensas. Essas manchas são mais resistentes e demoram mais para serem clareadas.

À medida que se usam produtos para clareamento no rosto inteiro, esse tipo de mancha pode ficar ainda mais destacada, pois as outras regiões da pele ficam rapidamente mais claras.

Por isso, o clareador pontual, que tem ativos mais concentrados, vai trabalhar de forma mais intensa nessas manchas, o que torna a pele mais uniforme.

Passo 2: tratamento diário para redução das manchas.

Aplique o Sérum M-Solution em todo o rosto e não retire. Esses passos devem ser realizados duas vezes ao dia, pela manhã e à noite.

Por que devo usar o Sérum M-Solution?

Esse sérum contém vários ingredientes que impedem a formação de novas manchas e promovem o clareamento das marcas já existentes.

Ele age desde a superfície da pele até a camada mais profunda, onde a melanina é formada. Desta forma, o resultado percebido é uma pele mais uniforme, mais iluminada e mais clara.

Passo 3: proteção solar, prevenção e controle das manchas

Pela manhã, aplique o Tonalizante Clareador em todo o rosto, colo e pescoço, e reaplique sempre que necessário.

Por que devo usar o Tonalizante Clareador?

Primeiro porque o sol é o maior causador das manchas, e de nada adianta passar produtos clareadores se não fizer a proteção contra os raios UV.

Segundo porque o produto também tem ingredientes que controlam a formação de marcas escuras.

E terceiro porque ele é tonalizante e assim ajuda a disfarçar as marcas mais escuras, deixando a pele com tom bem mais uniforme sem a necessidade de usar base.

Uma boa dica é aplicar o Pó Multiproteção FPS 50 sobre o Tonalizante Clareador. Assim a proteção é completa contra os raios UV, contra a luz azul e a poluição digital, que também podem causar as manchas.

O protetor em pó é de fácil aplicação e muito prático para reaplicar durante o dia. Ele pode também pode ser aplicado sobre a maquiagem e faz o controle da oleosidade, deixando a pele matificada o dia todo.

Gostou do conteúdo e quer se livrar das manchas que tanto te incomodam?

Então confira os benefícios completos dos produtos em nosso site. E depois nos conte a sua experiência com a linha Dermolight.

Ah, tem mais um detalhe muito importante: esses produtos podem ser usados o ano inteiro, inclusive no verão. Então, vamos deixar a pele radiante?

Lucimara da Cunha
Cosmetóloga e Engenheira Química
Analista de Marketing e produtos

Microagulhamento: Cuidados pré e pós

Cuidados antes do microagulhamento e após a sessão são importante para obter os resultados positivos da técnica!

Porém, são necessários alguns cuidados essenciais de preparação da pele, de pós procedimento e principalmente no cuidado na aplicação da técnica, que deve ser realizada por um profissional capacitado.

A técnica consiste na punturação da pele, na qual é usado um equipamento com microagulhas de aço cirúrgico, que deve ter registro na ANVISA e ser descartado após cada aplicação.

As micropunturações estimulam a vasodilatação, aumentam a permeação de ativos e estimulam a síntese do colágeno, auxiliando em vários tratamentos. 

O tratamento certamente pode ser associado a outros recursos nos intervalos das sessões de microagulhamento, sendo essencial tratamentos de revitalização e hidratação neste período.

O cuidado vai desde a hora da decisão por microagulhar até a escolha de um programa de tratamento específico para cada cliente, além dos cuidados com a biossegurança.

É importante lembrar que equipamento ilegal ou mal utilizado compromete sua credibilidade profissional e, muito mais grave que isso, pode comprometer a saúde de seu cliente bem como o resultado esperado.

Cuidados antes do microagulhamento

Primeiramente, os cuidados necessários para microagulhar que devem iniciar 30 dias antes da aplicação:

  • Primeira sessão aplicação de protocolo de limpeza de pele profunda
  • Segunda sessão aplicação de hidratação profunda
  • Terceira sessão revitalização da pele com associação de ativos fundamentais como Vit. C, ácidos de baixa concentração, ativos normalizadores da pigmentação, sempre respeitando a queixa da cliente e necessidade da pele
  • Quarta sessão microagulhamento com uso de fator de crescimento

Lembrando que o uso dos produtos home care são indispensáveis já que os resultados dependem da preparação da pele.

Nos cuidados antes de iniciar as sessões de microagulhamento é importante realizar limpeza, tonificação e proteção solar pois estes cuidados fazem parte do tratamento e devem ser usados diariamente pelo cliente, associando cosméticos hidratantes com fatores de crescimento, vitamina C, clareadores, produtos adequados ao biotipo e fototipo de pele e, claro, a finalização com fator de proteção solar.

Esses cuidados diários fazem com a pele esteja hidratada e nutrida melhorando assim a eficácia da técnica. E não esqueça é preciso interromper o uso de qualquer ácido na pele entre 72 e 48 horas antes de se submeter ao procedimento.

Sugestões de produtos para associar ao microagulhamento

Conheça nossas sugestões de produtos para uso em casa para associar ao seu tratamento:

Em adicional preparamos um vídeo do protocolo de aplicação do microagulhamento.

Cuidados após o microagulhamento

Após a realização da técnica, a pele pode apresentar  leve descamação, vermelhidão, ardor e um leve edema, além de sensibilidade ao frio, calor e principalmente ao sol. Indicamos água termal para atenuar os sintomas.

Não é recomendado o uso de nenhum FPS por até 12h após ter realizado o microagulhamento. Após esse período o fotoprotetor é obrigatório.

Evite exposição solar nos primeiros 30 á 45 dias e sempre usar filtro solar adequado a pele, se puder use com cor para potencializar a proteção, lembrando de reaplicar o fotoprotetor conforme a recomendação na embalagem do produto..

Entre todos esses cuidados, vale salientar que hidratação é a chave de tudo! Precisamos beber água, pois é essencial para mantermos a pele saudável e potencializar o resultado de qualquer tratamento estético.

Não esqueça também de que qualquer cliente deve se submeter a uma cuidadosa ficha de anamnese, onde essa determinará se é viável a aplicação da técnica ou não.

Lembrando sempre que na gestação não é indicado nenhum tipo de tratamento sem autorização prévia de seu médico.

Calvície feminina: causas e tratamento

A calvície feminina pode se transformar num problema de autoestima muito sério. Já que o cabelo é de fundamental importância para a imagem pessoal, principalmente quando se trata do sexo feminino.  Apesar ser pequena a porcentagem de mulheres que sofrem com a alopecia androgenética, o problema de fato ocorre e é influenciado por ação genética e hormonal, como nos homens.

Mas as mulheres ficam carecas?

Sim, a calvície feminina geralmente se inicia logo após a puberdade, quando os hormônios sexuais começam a ser produzidos. A evolução é lenta.

Primeiramente, ocorre uma rarefação difusa dos cabelos, que se tornam finos e têm o seu tamanho diminuído. Como resultado, ocorre a queda mais frequente, sem o crescimento de um novo fio.

Por outro lado, com a idade avançada, pode ocorrer, inclusive, de uma mulher ficar careca, porém não é algo muito comum.

Tudo pode se agravar se a mulher tiver alguma patologia ligada a fatores hormonais ou endócrinos. Principalmente, após a menopausa, quando  há uma alteração hormonal importante e falta de nutrientes e oligoelementos.

calvície e quada capilar

Por outro lado, não é só os fatores genéticos que podem causar a queda dos fios. Pois as mulheres acumulam funções no seu dia a dia, que as deixam no grupo de maior nível de estresse, que pode causar a queda dos cabelos.

Além disso, as mulheres fazem uso de cosméticos para os cabelos, muitas vezes não adequados, e ainda de muita química, que prejudica os fios, deixando-os mais fracos.

Um exemplo das alterações no fio por procedimentos estéticos é a temperatura alcançada pelas pranchas. Essa temperatura acaba formando bolhas ao longo do fio, proporcionando a quebra do cabelo e deixando-o frágil, enfim, um transtorno!

Falhas nas sobrancelhas

De forma similar ao que acontece com o cabelo, as sobrancelhas também possuem um papel fundamental na autoimagem da mulher.

Nem todas têm uma sobrancelha volumosa, capaz de seguir um design mais moderno. Algumas até já tiveram, mas, seguindo padrões dos anos 70, arrancaram tudo, já que a moda naquele momento era apenas ter uma fileira de pelos.

Mas como o crescimento das sobrancelhas difere do crescimento do cabelo, algumas mulheres não conseguem mais ter um volume desejado para um desenho adequado de suas sobrancelhas.

Tratamento da calvície feminina e falha das sobrancelhas

No tratamento para a calvície feminina, em muitos casos é preciso interferência médica e suplementações vitamínicas. Porém, o uso de shampoo e outros produtos para o cuidado do couro cabeludo com ingredientes voltados ao tratamento da queda é fundamental.

A linha Terapia Capilar da Extratos da Terra é uma excelente opção para o complemento dos tratamentos capilares.

Além de nutrientes importantes para o fortalecimento dos fios já existentes e crescimento de novos, os produtos controlam a oleosidade e protegem os cabelos da ação do tempo.

Os produtos inclusive fortalece os fios danificados por químicas e fragilizados devido a ações externas e até por conta do próprio envelhecimento.

Mas é importante frisar que o tratamento deve ser iniciado assim que se perceber o afinamento dos fios ou queda abundante. De modo que o problema não se agrave.

Enfim, o legal é saber que a Linha Terapia Capilar pode ser usada no couro cabeludo, reforçando a saúde dos fios e controlando problemas como oleosidade e queda.

Ela pode ser usada também em toda a extensão dos fios, devolvendo-lhes elasticidade e prevenindo a quebra. Além de proporcionar excelente hidratação.

Ah, e a linha conta com um tônico específico para ser usada nas sobrancelhas. Ele promove o aumento da espessura e crescimento de novos fios, preenchendo as falhas.

Não é maravilhoso?

Conheça e teste os benefícios dos produtos desenvolvido pela Extratos da Terra, você encontra os produtos de tratamento capilar em nosso site extratosdaterra.com.br ou em um de nossos distribuidores.

Experimente!

Elizete Garcia
Coordenadora técnica Extratos da Terra

Queda de cabelo pós-covid: mito ou verdade?

A queda de cabelo pós-covid é um relato cada vez mais comum em pessoas que apresentaram sintomas provocados pelo coronavírus. Vários estudos estão mostrando que esse sintoma é verdadeiro, mas o real mecanismo que leva à queda do cabelo ainda não está completamente desvendado.

Por exemplo, o estudos de Lopez-Leon e colaboradores, publicado em janeiro de 2021, apontam que 25% das pessoas que apresentaram sintomas da covid-19 têm problemas de queda após a doença.

queda de cabelo

Segundo os pesquisadores, a queda de cabelo é um dos 5 sintomas de longo prazo mais comuns por conta da doença (sintomas que aparecem ou persistem após a recuperação).

 Neste blog, vamos abordar algumas dúvidas em relação a esse assunto.

Por que os cabelos caem após a doença?

Primeiramente, a causa da queda do cabelo pós-covid ainda não está 100% definida. Mas se acredita que decorre do que os médicos chamam de eflúvio telógeno. 

O eflúvio telógeno é quando o cabelo que está em fase de repouso tem esse ciclo acelerado (quando o fio para de crescer e se prepara para cair, sendo trocado por um novo fio). Em outras palavras, é como se o tempo de vida do fio durasse menos do que o normal e, com essa fase acelerada, mais cabelos caem. 

Os especialistas revelam que essa queda acentuada é causada pela inflamação nos folículos pilosos. Assim como ocorre em outras doenças como dengue, chikungunya e zika, além de episódios de estresse, perda de peso, deficiência nutricional e pós-parto.

No caso da covid-19, a Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro (SBDRJ) declara que essa queda pode estar relacionada:

  • Á própria infecção
  • Ás medicações utilizadas no combate à doença
  • Ao estresse emocional nessa fase de isolamento social

Além disso, outros estudos mostram que, em resposta à infecção por covid-19, o corpo diminui a concentração de proteínas anticoagulantes, podendo levar à formação de microtrombos. Em consequência disso, reduz o acesso de sangue ao folículo piloso (onde o fio de cabelo é produzido), deixando os fios mais fracos e provocando sua queda antecipada.

Estudos ainda apontam a alopecia como um sintoma pós-covid, mas nesse caso a covid parece ser um gatilho para o aparecimento do quadro, já que a alopecia está mais ligada à predisposição genética. 

Quanto tempo após a recuperação da covid-19 os cabelos começam a cair?

Em primeiro lugar é importante saber que esse tempo de surgimento do sintoma varia muito de um caso para outro. Mas os relatos apontam de 3 semanas a 3 meses após o diagnóstico da doença. 

Quanto tempo dura a queda de cabelo pós-covid?

A princípio, em média de 3 a 6 meses após o diagnóstico da doença. Após esse período os cabelos tendem a voltar ao normal, desde que não exista uma tendência genética para alopecia ou outro fator envolvido na queda.

Por outro lado, no caso de existir uma tendência genética para a alopecia e o covid ser um gatilho inicial para desenvolver esse quadro, os fios vão ficando cada vez mais finos. 

É importante também lembrar que a deficiência de ferro e de vitaminas pode prolongar essa fase de recuperação, e por isso é importante consultar um especialista para um diagnóstico mais preciso e também para investigar se outros fatores não estão envolvidos na queda dos fios. 

Tratamento tópico para queda de cabelo

O tratamento para queda de cabelo devido ao covid é o mesmo que os já usados normalmente. Ainda não se sabe se existe algum mecanismo específico do vírus que induz o aumento da queda, por isso o tratamento segue a indicação usual e já conhecida.

Por exemplo, um tratamento tópico para queda que faz a reposição de vitaminas no folículo é o Tônico Nano Hair. Esse tônico segura o fio por mais tempo no couro cabeludo, diminuindo a queda e também fortalecendo o fio, deixando-o mais espesso.

O Tônico Nano Hair possui um blend de vitaminas de que o cabelo necessita para crescer saudável e normalizar o ciclo de vida capilar. Entre os componentes, estão aminoácidos, vitaminas do complexo B e proteínas como:

Nano Hair para queda de cabelos
  • Extrato de ginseng
  • Arginine
  • Sais de zinco
  • Niacinamida
  • Biotina
  • Glucosaminas

Dessa forma, para saber mais sobre o Nano Hair e como ele funciona, confira o blog – Nano Hair: vitaminas para queda dos cabelos. 

Então, se você gostou do conteúdo ou tem alguma dúvida? Deixe o seu comentário aqui que nós respondemos para você 😉

Flacidez de pele: o que causa e como se livrar?

A flacidez de pele é um dos sinais visíveis do envelhecimento. Ela pode aparecer  tanto no rosto quanto no corpo.

Mas você sabe como a flacidez ocorre

Leia até o final para entender por que a flacidez aparece na pele, os fatores envolvidos e como prevenir ou tratar.

O que é a flacidez de pele?

A flacidez é a perda de elasticidade e sustentação da pele. Ela é percebida visualmente pelo aspecto mais frouxo da pele. Isso ocorre, primeiramente, pela desorganização ou pelo desgaste das fibras de colágeno e elastina.

Outro fator que leva à flacidez é o enfraquecimento muscular por causa da falta de estímulos ou de exercícios físicos. 

Vamos visualizar como essas mudanças ocorrem dentro da pele?

flacidez de pele: mudanças que ocorrem
Mudanças na estrutura da pele com o envelhecimento

A imagem mostra de forma ilustrativa as mudanças que ocorrem no interior da pele e que causam a flacidez. Você pode perceber que na pele jovem as fibras de colágeno e elastina estão fortes e bem organizadas.

À medida que envelhecemos, essas fibras ficam enfraquecidas, e muitas vezes as novas fibras de colágeno que “nascem” não são de qualidade ou não estão organizadas da mesma forma que antes. Isso leva ao surgimento das rugas e ao afrouxamento da pele

Quer dizer que posso produzir colágeno que não melhora a flacidez?

Exatamente! As células, quando envelhecidas, não desempenham as funções da mesma forma que quando eram jovens. Isso também acontece com as células que produzem o colágeno e a elastina. Elas produzem as fibras, porém de forma desorganizada, não mantendo a estrutura de sustentação da pele. 

Essa falta de elasticidade acontece tanto no rosto quanto no corpo quando envelhecemos. Por outro lado, outros fatores podem desencadear a flacidez ainda na juventude. 

Mas o que causa a flacidez?

Além da idade e do envelhecimento das células, quando tudo no nosso corpo desacelera e cansa, inclusive a renovação das fibras elásticas, outros fatores podem levar à flacidez ainda na juventude. Alguns desses fatores são a influência hormonal, a obesidade e a gravidez. 

Na gravidez, por exemplo, a barriga aumenta rapidamente e, após o nascimento do bebê, a pele torna-se flácida. A volta ao corpo que se tinha antes é um processo natural, mas, no entanto, nem sempre isso acontece conforme o desejado. Por isso, é muito importante que nas regiões mais afetadas pela gestação – abdômen, pernas, glúteos e mamas – a pele esteja sempre muito bem hidratada e de preferência com Cremes Firmantes. 

O sedentarismo ou a dificuldade em criar uma rotina de exercícios físicos também podem levar à flacidez. Isso porque os músculos que ficam abaixo da pele ficam flácidos pela falta de estímulo, prejudicando a sustentação da pele. 

Outra causa da flacidez é a obesidade, principalmente se estiver associada à má alimentação. Esse aumento de gordura em todo o corpo acaba gerando a flacidez da pele e dos músculos, pois o excesso de peso interfere na sustentação da pele. 

Muitas pessoas com excesso de peso optam pela redução de estômago. Porém, após o procedimento, a flacidez aparece de forma assustadora. Isso porque houve uma redução drástica da camada de gordura, e a pele não possui elasticidade suficiente para reduzir de tamanho na mesma proporção. Por isso, é importante prepará-la, fortalecer o músculo e usar ativos hidratantes e firmantes, pré e pós-procedimento.

Como prevenir e tratar?

Mas não se preocupe! Atualmente a estética possui bons tratamentos para prevenir, tratar e reverter esse processo com o uso de produtos e procedimentos rejuvenescedores. 

O importante é saber que, para reverter a flacidez, é necessário fortalecer as fibras de colágeno e de elastina, que auxiliam na sustentação e melhoram a elasticidade, promovendo mais tônus à pele.

Isso é possível com o uso de produtos que estimulam a produção de colágeno e de elastina e que promovem um efeito lifting da pele. Então, o grande segredo é ter bons hábitos alimentares, fazer exercícios físicos, beber água e usar cosméticos apropriados para cada região da pele.

Um bom parceiro para reduzir a flacidez da pele é o Lipofeme Creme Firmante. O produto é um poderoso firmador que obteve excelentes resultados nos testes clínicos, comprovando 93% de pele mais firme em apenas 4 semanas de uso. 

Outros resultados do teste de eficácia percebida mostraram que:

– 80% melhoraram a aparência geral da pele;

– 73% melhoraram a firmeza da pele; e

– 87% obtiveram uma pele mais lisa e hidratada.

O Creme Firmante possui o DMAE nanoencapsulado na sua composição, um poderoso ingrediente contra a flacidez. Nossa técnica Elizete Garcia fez um vídeo explicando tudo sobre esse produto. Assista aqui

Ah, e a indicação desse creme é para as mulheres que tiveram flacidez decorrente da gestação, assim como para homens e mulheres que passaram por processo de emagrecimento ou para qualquer pessoa que esteja envelhecendo e queira prevenir ou reverter esse problema. 

Experimente e cuide de você! 😀