Cuidados com a pele: 5 mitos que você deve saber

Os cuidados com a pele sempre geram muitas dúvidas. Em meio à procura pela melhor forma de nos cuidarmos, muitas vezes nos debatemos com vários mitos que ficaram difundidos como verdade. 

Hoje vamos esclarecer 5 desses mitos que foram difundidos ao longo dos anos 😉

1 – Pele oleosa não precisa de hidratação

O primeiro mito é sobre os cuidados com a pele oleosa, pois muito se fala que essa pele não deve ser hidratada.

Vale lembrar que a hidratação é importante para qualquer tipo de pele.

Hidratação é diferente de oleosidade. Ao contrário do que muitos pensam, uma pele hidratada consegue controlar a oleosidade por mais tempo. Já uma pele desidratada tem a tendência de ficar ainda mais oleosa.

Você deve estar pensando: como assim?

Vamos entender um pouquinho sobre a função da pele para que tudo fique mais claro.

Vamos entender um pouquinho sobre a função da pele para que tudo fique mais claro.

Uma das funções mais importantes da pele é a proteção contra agentes do meio externo. Ela é uma barreira muito inteligente que impede que a água que está no nosso corpo seja evaporada. Por outro lado, impede que água e outros agentes aos quais estamos expostos no dia a dia penetrem no nosso corpo.

Essa barreira é formada basicamente por um manto hidrolipídico, ou seja, composto por substâncias oleosas e aquosas. 

Dessa forma, quando a pele está desidratada, essa barreira de proteção fica mais fragilizada e prejudicada, aumentando a evaporação da água das células e também deixando a pele suscetível a outros problemas estéticos. Nosso corpo então começa a trabalhar para voltar ao seu equilíbrio, e substâncias oleosas são produzidas, o que aumenta a sensação de oleosidade na pele.

Com a urgência de se livrar dessa sensação de sujidade, o que normalmente as pessoas fazem é lavar muitas vezes o rosto. Além de usar em excesso produtos que retiram a oleosidade, como produtos adstringentes, passando a evitar produtos hidratantes. Ou seja, o equilíbrio das substâncias aquosas e oleosas não é reconstruído, o que vira um ciclo vicioso. 

Portanto, pele oleosa deve ser hidratada sim! Mas é muito importante usar produtos específicos para esse tipo de pele, estimulando assim o equilíbrio e o controle da oleosidade.

2 – Acne acontece somente com adolescentes

Mito! a acne acontece em peles maduras e adultas sim, principalmente em mulheres. 

Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, em parceria com o laboratório Theraskin, mostrou que a acne é o maior problema que leva as mulheres ao consultório médico, sendo que a média de idade dos participantes da pesquisa era de 42,5 anos, fase na qual a preocupação deveria ser outra, como a prevenção do envelhecimento precoce.

Por que isso acontece?

A resposta é simples: além da oleosidade da pele, uma das principais causas da acne é o fator hormonal. Se a gente pensar que as mulheres ao longo da vida passam por constantes mudanças nos níveis hormonais, fica fácil compreender por que a acne não abandona as mulheres após a adolescência.

Isso acontece principalmente no mundo atual e agitado em que vivemos. O que eleva o nível de estresse, que por sua vez altera os níveis hormonais. 

Diferença entre acne adolescente e adulta

O que difere a acne adolescente da adulta é o grau de gravidade. A acne adulta normalmente é considerada leve, com a presença de cravos brancos e pretos, podendo chegar a casos de lesões inflamatórias. Já na adolescência pode chegar a casos mais graves, com processo inflamatório mais agressivo e que pode gerar cicatrizes e marcas escuras com maior intensidade do que a acne adulta. 

Outra diferença é o local onde as lesões de acne comumente aparecem.

Na pele madura, as principais regiões com acne são em volta da boca, no queixo e no contorno do rosto e pescoço.

Na adolescência, não há uma região específica, podendo a acne estar distribuída por toda a face e também nas costas, como é o caso dos homens. 

Os cuidados com a pele acneica, independentemente da idade, inclui usar produtos antiacne que controlem as lesões e previnam o aparecimento de novas. Para isso, recomenda-se usar produtos que controlem a oleosidade, equilibrem a microbiota, controle a inflamação, limpem e detoxifiquem a pele das sujidades e da poluição e que tenham ação antioxidante, mantendo a pele fortalecida e saudável. 

Temos outro conteúdo que aborda o tratamento da acne no link.

3 – Cuidados com a pele com manchas deve ser somente no inverno

Outro mito muito comum sobre os cuidados com a pele é que o tratamento de manchas deve ser realizado somente na estação mais fria do ano. Essa crença vem do passado, quando não se tinha tecnologia dermocosmética tão avançada como atualmente. 

Antigamente, os tratamentos para manchas de peles eram na sua maioria à base de ácidos, que não podem ser utilizados quando se tem a exposição à radiação do sol, como acontece no verão.

Com o avanço da ciência e das pesquisas, surgiram novos recursos de tratamento e ativos que não são fotossensíveis. Ou seja, a exposição do sol não prejudica o tratamento. 

Aliás, os novos estudos têm cada vez mais demonstrado que quem tem problemas com manchas e principalmente o melasma, deve usar produtos controladores da formação do pigmento, que dá cor à pele, de forma constante, o ano inteiro e todos os dias.

O sol é o principal causador das manchas. Por isso a proteção solar é necessária, assim como os produtos para o clareamento, que devem ser aplicados diariamente. Só assim se tem o controle efetivo das manchas que tanto incomodam.

Portanto, trate suas manchas o ano inteiro, mas procure por produtos seguros, registrados, testados e com resultados comprovados.

4 – Quanto maior a porcentagem de vitamina C, melhor. 

Organic bio cosmetics with vitamin C. The concept of Minimalism Flat lay.

Mito! A vitamina C é dos produtos mais conhecidos atualmente para os cuidados com a pele de forma geral. Pois é um ativo multifuncional que traz benefícios incríveis. 

Também é um produto do qual se encontram muitas opções na hora da compra. Nesse momento, surgem muitas publicações com as porcentagens de vitamina C que compõem o produto. O que se imagina em seguida em uma análise rápida é que quanto maior a porcentagem, melhor e mais eficiente é o produto.

Certo? 

Errado!! Vou apontar aqui 3 pontos para você não levar em consideração apenas a porcentagens de vitamina C no produto:

Considere a sinergia dos ativos

O primeiro ponto a se avaliar aqui é que a porcentagem nem sempre garante o melhor resultado. Muitas vezes, pode-se ter uma porcentagem alta de um determinado ativo, mas ele sozinho não consegue resolver todos os fatores envolvidos em uma determinada necessidade da pele.

A pele não é igual para todo mundo, temos vários fatores do nosso dia a dia que interferem na qualidade e na saúde dela. Dessa forma, por mais que se tenha um ativo multifuncional, nem sempre ele vai conseguir agir em todas as frentes que precisamos para obter um rejuvenescimento ou um clareamento com resultados satisfatórios, por exemplo.

Só para dimensionar o tamanho da complexidade da questão, as manchas têm mais de 23 fatores conhecidos na sua formação. Assim como há inúmeras pequenas causas que levam ao envelhecimento da pele. 

O que eu quero dizer com tudo isso? Que não adianta ter uma porcentagem alta de um determinado ativo se a formulação do produto não conseguir resolver o máximo de fatores envolvidos no problema. 

Assim, é mais importante avaliar a formulação em seu conjunto. A sinergia dos ativos da formulação e, principalmente, se o produto tem teste de eficácia que comprove os resultados prometidos. 

Forma de apresentação da vitamina C

O segundo ponto a ser considerado, especificamente sobre a vitamina C, é a sua alta taxa de oxidação. Ou seja, se a vitamina C estiver em sua forma pura, ela tem altas chances de ser oxidada ou de ter a sua função diminuída antes mesmo de entrar em contato com a pele, na própria embalagem do produto.

Este é outro motivo para não se considerar somente a porcentagem do ativo, e sim se a vitamina C tem tecnologia como a nanoencapsulação para preservar a sua funcionalidade.

Embalagem

E um terceiro ponto muito importante a se avaliar em produtos que contenham vitamina C é a embalagem. Como ela é muito fácil de ser oxidada, caso o produto entre em contato com o oxigênio, a vitamina C pode perder parte de seus benefícios. 

E há uma forma bem fácil de visualizar esse acontecimento. Se ao usar a sua vitamina C você perceber ela mais amarelada do que estava quando foi aberta pela primeira vez, é bem possível que parte dela já tenha sido perdida. Por isso, embalagens do tipo airless são muito importantes em produtos com vitamina C. Pois impedem esse contato do produto com o ar atmosférico, garantindo qualidade até a última gota. 

Resumidamente, o meu conselho é: não considere a porcentagem de vitamina C no produto como o fator de maior importância. Procure ver a sinergia de ativos que compõem a fórmula, se a vitamina C é nanoencapsulada e se a embalagem tem contato com o ar. Ah, e claro, observe se o produto com vitamina C possui teste de eficácia que comprove os resultados que ele promete 😉

5- Cremes anti-idade não funcionam

Último mito a ser desmascarado hoje é que os cremes anti-idade não funcionam.

Muitas pessoas acreditam que só cirurgias, botox, preenchimentos, entre outros métodos mais invasivos, são a solução para peles envelhecidas. Isso não é verdade. 

Hoje possuímos a tecnologia a nosso favor, temos ativos nanoencapsulados, vetorizados e biocompatíveis com a pele. Com funções de reverter os sinais, prevenir e preservar as nossas células para que tenham uma vida mais longa. Muitos ativos conseguem estimular fatores de crescimento, preservar a hidratação, mantendo o volume facial e estimular a produção de novas fibras de colágeno e elastina, que dão sustentação à pele. São inúmeros os fatores a nosso favor.

Claro que os dermocosméticos têm os seus limites de atuação. Eles conseguem sim melhorar a qualidade da pele e deixar a aparência mais jovem, mas prevenir sempre é o melhor remédio. 

Portanto, quanto mais cedo se tiver a preocupação em manter a pele saudável usando os produtos anti-idade adequados ao seu tipo de pele, tendo um estilo de vida e alimentação saudáveis. Bem mais tarde serão necessárias intervenções cirúrgicas ou minimamente invasivas para reverter os sinais do tempo. 

Cuide-se, mantenha uma rotina diária de cuidados com a pele e dessa forma as rugas vão demorar muito mais para te incomodar. 

Cuidados com a pele: uma rotina que traz a beleza que faz bem

Criar o hábito de se cuidar é uma forma de fazer o bem para si mesma. É um tempo que todos deveriam reservar para si. 

São alguns minutos diários que fazem muita diferença na autoestima e na qualidade da pele. Isso não vai se refletir somente hoje, e sim por muitos anos. 

Estamos expostos diariamente a muitos fatores que alteram o equilíbrio da pele que nos protege, como a poluição, a radiação solar, a luz de dispositivos móveis, entre outros.

Por isso, faça a higienização adequada e use os produtos indicados para o seu tipo de pele. Use protetor solar, beba bastante água e tenha uma alimentação saudável. Esses são os passos básicos para se manter saudável e de bem consigo mesmo e com a sua idade. 

Cuidar de si mesma é o que compõe a beleza que nos faz bem!

Confira também o post: Três passos diários para ter a pele bonita todos os dias

Lucimara da Cunha 
Cosmetóloga e engenheira química
Analista de marketing e produtos da Extratos da Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.