Arquivo da tag: clareamento de manchas

Manchas na pele: como aparecem

“Eu sempre sofri muito por conta de manchas na pele. Parece que a minha pele é muito sensível, e qualquer coisa que acontece, aparece uma mancha. Primeiro foram as manchas de acne que tive durante a adolescência. Elas não eram muitas, nem muito marcadas, mas me incomodavam, e eu sempre sentia necessidade de usar algo para cobri-las.

Depois de um tempo, começaram a aparecer umas manchas um pouco mais marcadas, e quando pesquisei descobri que eram melasmas. Eu usei alguns produtos diferentes para tratar, às vezes parecia que melhorava, mas depois as manchas voltaram. 

Eu sei que devo me aceitar como sou, mas essas manchas realmente impactam a minha autoestima, e eu me sentiria melhor se elas não aparecem tanto.”

Você se identifica com a situação acima ou com alguma parte dessa história?

Muitas pessoas passam por isso, já que a maioria da população tem manchas na pele.

Normalmente, quem de fato sente que as manchas incomodam faz de tudo para amenizá-las, mas nem sempre essas ações funcionam.

Você sabe que tudo pode mudar se passar a entender o que são essas manchas na pele, por que elas aparecem e como surgem?

Assim você vai saber o que realmente acontece dentro da sua pele, que tipos de manchas você tem e qual a melhor forma de tratá-las.

Talvez você esteja pensando: vão tentar me vender algum produto. A verdade é que poderíamos, mas não vamos fazer isso. Queremos realmente compartilhar o nosso conhecimento com você, de modo que escolha o que é melhor para a sua pele, e a partir daí a decisão sobre como cuidar das manchas é sua.

O que são as manchas na pele?

A primeira coisa que você precisa saber é que as manchas na pele são formadas por conta de uma produção descontrolada da melanina.

A melanina é um pigmento que dá cor à nossa pele, ou seja, produzimos ela naturalmente.

Porém, algumas situações podem contribuir para que a melanina seja produzida em excesso, fazendo com que algumas partes da pele fiquem mais escuras do que outras. E são essas partes escuras que chamamos de manchas de pele.

Por que aparecem manchas na pele?

Essa produção descontrolada pode ser ativada por vários fatores, por isso é tão comum encontrar pessoas com manchas na pele, pois todos nós estamos expostos a esses fatores.

Os cinco principais fatores causadores de manchas são:

  • exposição solar: a radiação do sol desencadeia uma série de mecanismos na nossa pele que levam ao aparecimento das manchas;
  • gravidez e uso de anticoncepcional: ambos ativam mecanismos muito similares aos que a radiação UV provoca. É comum mulheres que nunca tiveram manchas na pele apresentarem melasmas durante a gravidez;
  • processos inflamatórios: os processos inflamatórios, como acne ou até machucados, ativam a defesa da nossa pele, que produz melanina para se proteger e acaba gerando manchas;
  • estresse: sim, até o estresse é responsável pelo surgimento de manchas na pele. Ele ativa uma substância diferente das anteriores, que leva a esse processo; e
  • poluição: estudos recentes apontam a poluição como superprejudicial para a nossa pele, sendo responsável pelo aparecimento de manchas e do envelhecimento precoce.

Onde as manchas são formadas?

Como falamos anteriormente, as manchas são resultado de uma produção descontrolada da melanina. Essa melanina é produzida em uma célula chamada melanócito, que fica na camada mais profunda da nossa epiderme (para saber mais sobre as camadas da pele e como a nossa pele funciona, clique aqui).

Manchas na pele: onde são formadas

Mas como as manchas chegam à superfície da pele?

O que acontece: o melanócito produz melanina em excesso e, através dos dendritos (essas perninhas que ele tem), transfere a melanina para as células até chegarem à superfície da pele. 

Por que é importante saber isso?

Porque aqui a gente entende que o tratamento das manchas não diz respeito a somente retirá-las da superfície da pele, temos que “controlar” o melanócito, pois ele vai sempre continuar produzindo mais melanina. Por isso, muitos tratamentos parecem que funcionam num primeiro momento, mas depois a mancha na pele acaba voltando. 

Quando tratamos manchas, temos que pensar em várias coisas, mas as principais são:

  • regular a produção de melanina no melanócito para que ele pare de produzir de forma descontrolada esse pigmento;
  • impedir que a melanina já formada chegue à superfície da pele; e
  • remover as células já pigmentadas da superfície da pele.

Como tratar as manchas na pele e por quanto tempo deve ser feito o tratamento?

Você já entendeu que precisa tratar as manchas através das três ações citadas acima, mas como saber se o produto que você está usando faz tudo isso?

Aqui é muito importante você ler os ingredientes que o produto contém. Normalmente, as próprias empresas fornecem uma descrição dos ingredientes ativos (aqueles que realmente vão agir no problema), o que é cada um deles e o que de fato esses ativos fazem. 

Caso prefira, você também pode entrar em contato com a empresa, ou com quem te vendeu o produto, e solicitar uma explicação mais aprofundada (agora que você já sabe tudo isso, fica muito mais fácil de entender).

Por quanto tempo o tratamento deve ser feito?

Vai depender de pessoa para pessoa, e principalmente, do tipo de mancha. Mas basicamente são duas fases: a fase do tratamento e a fase de manutenção.

No tratamento, serão usados mais produtos e com ações bem específicas para reduzir as manchas existentes, impedir que as manchas já produzidas cheguem à superfície e controlar o melanócito. O mínimo recomendado para essa fase é um período de 3 meses.

Na manutenção, depois que as suas manchas reduzirem, você utilizará produtos que vão manter o melanócito controlado para que não volte a produzir as mesmas manchas de antes. Caso você queira ficar longe das manchas, deverá sempre realizar a manutenção uma vez que comece o tratamento. O bom é que para isso existem vários produtos com outras funções, como anti-idade e antioleosidade, que também agem na redução de manchas e que devem se tornar parte da sua rotina de cuidados diária.

Para finalizar, vamos destacar dois pontos importantes:

  • Fique longe de peelings agressivos, que fazem a sua pele descamar. No primeiro momento, a sua pele vai ficar linda, porém se você não tiver muito cuidado depois e não usar produtos adequados, as manchas voltarão e podem retornar ainda mais fortes, já que se trata de algo muito agressivo que ativa o sistema de defesa da pele.
  • Procure sempre por produtos com registro na ANVISA e que tenham passado por testes de eficácia, ou seja, os produtos foram testados em laboratórios credenciados e têm resultados comprovados.

Gostou deste assunto? Conte pra gente nos comentários o que achou e nos envie as suas dúvidas!

Continue acompanhando o nosso blog para mais conteúdos!

Instagram
Facebook
YouTube
Nosso site

Manchas da pele: saiba como são formadas

Manchas da pele são um problema que afeta a aparência física da maioria das mulheres, incomodando todas as pessoas que se preocupam com a estética e com a vaidade.

Essas manchas são ocasionadas por diversos fatores e podem apresentar coloração branca, marrom ou avermelhada, de acordo com a quantidade de melanina produzida.

Melanina é o pigmento responsável pela cor natural da nossa pele. Ela é produzida na camada basal, em uma célula chamada melanócito.

O melanócito possui ainda prolongamentos, espécies de “bracinhos” que vão se infiltrando entre as células da pele. Fazendo uma comparação ilustrativa, podemos comparar o melanócito e a pele com uma mão segurando um abacaxi.

Manchas de pele: comparação ilustrativa

Pareceu estranho para você? Então observe a foto ao lado. Se você imaginar que a palma da mão é o núcleo do melanócito e os gomos do abacaxi representam as células, mais especificamente os queratinócitos, então os dedos são os dendritos no melanócito, que consegue alcançar vários queratinócitos. 

Essa comparação não foi boa?

Então observe a segunda imagem abaixo, ela é a representação de um melanócito carregado de melanossomos. E ao lado é o local onde esse melanócito se encontra na camada basal da pele. Agora sim, deu para entender? Mas aposto que você não vai se esquecer da comparação do abacaxi.

Brincadeiras à parte, afinal com manchas não se brinca, hoje vou explicar o quão complexo e perfeito é o nosso corpo para manter o equilíbrio e a proteção das células. 

Processo de pigmentação da pele

Dentro do melanócito, existe uma organela chamada melanossomo, que é o local onde efetivamente a melanina é sintetizada.

Depois do pigmento formado, o melanossomo é transferido através dos dendritos do melanócito para as células adjacentes da pele, que são chamadas de queratinócitos. 

Após o transporte dos melanossomos para os queratinócitos, a melanina vai se direcionando ao núcleo da célula para proteger o DNA, e o pigmento é então liberado.

Ou seja, a melanina é a principal proteção do DNA contra os danos da radiação solar, por isso que a causa das manchas da pele, na maioria das vezes, é desencadeada pela exposição ao sol. Quanto mais sol, mais o melanócito entende que precisa proteger as células e mais melanina é produzida para isso. 

A ativação para a produção de melanina pode se dar por diferentes fatores e normalmente envolve o processo de comunicação entre as células da camada mais superficial da pele e o melanócito.

Essas células impulsionam a produção da melanina através da ativação da tirosinase (enzima que catalisa as primeiras reações para formação do pigmento). 

São inúmeros os mecanismos que, ao serem ativados, levam mensagens para o melanócito produzir a melanina. Por isso, tratar manchas é mais complexo do que parece, e o tratamento deve levar em consideração o maior número de fatores que desencadeiam a formação de melanina. 

Porém, é bom ter em mente que a melanina não é uma vilã. Pelo contrário, ela é a proteção do DNA para que não ocorra o envelhecimento precoce das células nem doenças mais sérias como o câncer.

Portanto, quando se fala no  tratamento de manchas de pele, temos que considerar a melanina como nossa aliada, como uma parceira que a gente pega na mão e diz: “Estou contigo, fique calma e tudo vai dar certo”.

Produção descontrolada de melanina e formação de manchas da pele

Como mencionado anteriormente, a síntese de melanina é ativada por diversos mecanismos diferentes, muitos dos quais ocorrem através da comunicação entre as células da epiderme (queratinócitos) e os peptídeos que se ligam a receptores específicos nos melanócitos, iniciando a produção de melanina.

Muitos desses mecanismos são ativados pela exposição solar, que, ao atingir as células da pele, ativa os gatilhos de defesa das células, iniciando-se a comunicação celular.

Por esse motivo, o surgimento de hipercromias muitas vezes é relatado após a exposição ao sol. 

Na imagem abaixo, pode ser observado um esboço dos principais mecanismos que levam à formação de marcas escuras na pele. 

Clique aqui para abrir imagem em tamanho maior.

Grande parte dos fatores desencadeadores que resultam na ativação da tirosinase deve-se à incidência da radiação solar, mas outros pontos-chaves importantes também são a poluição, processos inflamatórios, a gravidez e o uso de anticoncepcional devido ao fator hormonal envolvido.

Todos esses fatores desequilibram a produção normal de melanina, desencadeando a produção descontrolada do pigmento e formando as manchas. 

A partir de um desses gatilhos, começa uma reação em cadeia, e cada tipo de gatilho pode ativar diferentes meios de comunicação celular, levando à formação de marcas mais escuras na pele. 

Tratamento de manchas

Para que o clareamento de pele seja eficiente, os produtos devem agir no maior número possível desses mecanismos ativadores, neutralizando, bloqueando ou regulando a produção de melanina, porém de uma forma inteligente, que não prejudique o desejo natural nem agrida a pele ao ativar esses mecanismos de defesa.

Percebam que essa é uma linha tênue, por isso a necessidade de escolha  por produtos que deem resultado não só pensando no prazo imediato, mas principalmente a longo prazo, para não ocorrer o efeito rebote e a piora do quadro.

Tratamento profissional de manchas da pele

A Extratos da Terra desenvolveu a linha Dermolight, criada com o conceito de tratamentos por camada, cuidando das hipercromias de forma gradual.

Ou seja, à medida que os passos do tratamento são realizados, os produtos agem em locais mais profundos e específicos (o primeiro produto age no estrato córneo, até chegar ao principal, que age diretamente no melanócito). 

No tratamento profissional, os produtos formam um ciclo, agindo em 15 pontos-chaves fundamentais na formação das hipercromias e também reduzindo as já instaladas por diminuir a intensidade das marcas e aumentar a renovação celular, eliminando as células pigmentadas.

Dessa forma, temos um tratamento completo, em que cada passo age em uma determinada camada da pele, atuando sobre os mecanismos locais que causam as hipercromias. Os 15 mecanismos de ação da linha  são:

1 – Inibe a atividade da tirosinase, que participa das duas primeiras reações da síntese de melanina.
2 – Reduz a conversão de tirosina em DOPA, que é a primeira reação da síntese de melanina.
3 – Reduz a síntese da TRP-1, necessária para a produção da melanina marrom.
4 – Regula a MITF, um fator de transcrição que ativa a tirosinase.
5 – Inibe o transporte de melanina dos dendritos para os queratinócitos.
6 – Inibe o depósito de melanina formada nos queratinócitos por inibir a PMEL17.
7 – Inibe a liberação de melanocortina (α-MSH), que é o hormônio estimulante dos melanócitos.
8 – Reduz a produção de radicais livres (ROS).
9- Reduz a produção de endotelina-1 secretada pelos queratinócitos, que ativa a tirosinase e aumenta o tamanho e o número de dendritos.
10 – Inibe a formação de plasmina, que libera o fator de crescimento do melanócito e que ativa a cascata inflamatória, além de estimular o α-MSH.
11 – Promove a detoxificação celular, evitando que resíduos inúteis permaneçam na pele, pois podem ativar o sistema de defesa.
12 – Diminui a comunicação da substância P com o melanócito, evitando o aumento dos dendritos e do transporte de melanina para as células.
13 – Tem ação anti-inflamatória, inibindo a síntese da proteína do estresse e o início da cascata inflamatória.
14 – Limita os efeitos das agressões externas como RUV e poluição.
15 – Aumenta a proteção do tecido, evitando agressões na camada córnea e protegendo-a dos danos da radiação solar.

A linha é um tratamento eficiente que controla a produção de melanina, elimina marcas escuras já instaladas e previne que novas hipercromias se formem.

Além disso, todos os produtos promovem e preservam a hidratação da pele, pois a hidratação faz com que o tratamento seja mais eficiente, que os ativos tenham melhor absorção e que a barreira de proteção fique íntegra, protegendo a pele dos efeitos danosos e dos agentes externos.

Para conhecer os produtos da linha, basta clicar neste link.

Cuidados em casa

Outro fator importante no clareamento de pele é o controle da produção de melanina, que deve ser diário, pois o melanócito, uma vez que é estimulado a produzir melanina, continua produzindo em uma quantidade superior ao normal.

Dessa forma, é necessário enviar uma mensagem diária a ele para que não  produza o pigmento e que está tudo sob controle. 

Isso quer dizer que os cuidados em casa são fundamentais para o sucesso do tratamento em cabine, pois os produtos usados em casa entregam doses diárias pequenas de ativos que auxiliam no controle da produção do pigmento. 

Isso também quer dizer que o tratamento não pode ser interrompido no verão, por exemplo, pois é a época em que mais as pessoas se expõem ao sol, e como vimos o sol é o principal ativador da produção de melanina.

Para conhecer um pouco mais os produtos de uso em casa para o clareamento de pele, acesse outro conteúdo do blog: Manchas na pele: saiba como tratar

Lucimara da Cunha
Engenheira química e cosmetóloga
Analista de marketing e produtos

5 dicas de como preparar o corpo durante o inverno para curtir o verão

Você sabia que o inverno é a estação mais indicada para realizar tratamentos estéticos? O clima ameno, a pele sem brozeado e a menor intensidade solar são condições ideais para os cuidados com a pele. Chegou a hora de deixar a sua mais lisa, hidratada e iluminada!

A razão para o inverno ser visto como uma ótima época para tratar a pele está no fator de incidência solar, que é menor nessa época do ano. Por isso, os tratamentos acabam sendo mais eficazes e menos prejudiciais. Vale lembrar que o uso de protetores solares continua sendo necessário, mesmo sem sol e no frio, hein?

Tratamentos como laser, peeling e aplicação de ácidos, que visam o rejuvenescimento da pele, estão na lista dos mais recomendados. Os que dão mais resultados são aqueles que combatem rugas, manchas no rosto, gordura localizada e flacidez. E para isso, a Extratos da Terra desenvolve cremes e ácidos maravilhosos, práticos e potentes que vão ajudá-la.

Quer saber quais os melhores procedimentos para investir e os produtos que não podem faltar no seu inverno? Nós temos 6 dicas infalíveis! Leia com atenção e prepare-se para curtir o verão sem preocupações.

Dica 1 – Para tratar celulite e estrias

Tratar a celulite sem sair de casa ficou ainda mais fácil. As melhores opções, especializadas em tratar celulites, flacidez e estrias, estão relacionadas aos ativos vetorizados – desenvolvidos através de nanotecnologia. Essa técnica permite que os produtos penetrem melhor na pele, atingindo as camadas afetadas de dentro para fora. Os que contém substâncias termogênicas, óleos vegetais naturais, ômegas e ácidos fracionados são os mais indicados.

Você encontra no Lipofeme Nano Shower Anticelulite e no Lipofeme Body Lotion Antiestrias.

 

Dica 2 – Para o rejuvenescimento facial

Quando falamos em rejuvenescimento, temos que falar dos maravilhosos antioxidantes – presentes nas vitaminas C e D. São eles que proporcionam o efeito antienvelhecimento e promovem uma série de melhorias no aspecto e textura da pele. Além disso, aumentam a produção de colágeno e previnem a perda de água – ou seja, a hidratação da pele dura muito mais tempo, e você não perde horas e horas com tratamentos fora de casa.

Você encontra no Dermosoft Day Reverse Creme Anti-Idade Facial e no Dermosoft Revitalize Dermo Vit C.

Dica 3 – Para evitar o ressecamento

Durante o inverno, os banhos são mais quentes e as roupas inibem a transpiração, e por isso a nossa pele tende a ficar mais ressecada. Para evitar a escamação e cuidar com carinho do corpo todo, é preciso recompor a oleosidade – por isso, prefira produtos naturais e menos abrasivos. Composições com ativos 100% vegetais, como óleos e manteigas, são opções de melhor absorção e mais ricas em hidratação.

Você encontra no Pro Vegetal Creme de Massagem Corporal Advanced Skin Technology e no Pro Vegetal Creme de Massagem Corporal Ômega 7.

Dica 4 – Para melhorar a circulação

Não fugir dos exercícios físicos e das massagens drenantes já é um ótimo passo para não deixar a circulação afetar o seu corpo no inverno. Estimular o metabolismo e proteger os vasos sanguíneos com tratamentos corporais são os passos seguintes. Procure por produtos com substâncias como Hiperemim (nicotinato de metila) e o Silanol (ligado à xantina), que aumentam a circulação na região tratada.

Você encontra no Vitta Hiperemim Creme de Massagem Lipotérmico.
Gostou? Invista na “operação inverno” e restaure a beleza da pele agora, para curtir o verão ainda mais linda! <3

Tudo que você precisa saber sobre as Argilas Naturais

A argila é um ótimo recurso natural para cuidar da beleza da pele e prevenir os efeitos do tempo. As argilas naturais possuem ações bactericidas, regeneradoras, anti-inflamatórias e antissépticas, muito eficazes no aumento da elasticidade e na purificação da pele. São também ricas em nutrientes como ferro, cobre, alumínio, magnésio, zinco, cálcio, silício e potássio, oligoelementos que funcionam como um “tratamento de choque” para diversos problemas na derme.

Os tratamentos com argila, conhecidos como geoterapia, sempre foram muito usados pelos povos da antiguidade – como os egípcios, que já conheciam os benefícios dos banhos de argila, assim como parte da população nativa da Amazônia. Seu poder tonificante, descongestionante, regulador, absorvente, calmante, cicatrizante e purificador faz da argila um produto completo e grande aliado da pele saudável.

Existem diferentes tipos de argila natural, e cada uma deles possui quantidades diferentes de nutrientes em sua composição, agindo, consequentemente, de diversas formas quando aplicadas na pele. Conheça:

Quais os tipos de argila?

Argila verde: possui a maior diversidade de oligoelementos (magnésio, silicato, potássio, cálcio, fosfatos, óxido de ferro, alumínio, manganês, titânio, entre outros) e é excelente no tratamento facial, corporal e capilar. Tem ação tonificante, remineralizante, absorvente e estimulante. Promove a esfoliação da pele, combate edemas, nutre os tecidos e absorve toxinas. Possui ainda ação antisséptica, absorvente, adstringente, tonificante e cicatrizante, e auxilia na retirada de impurezas, agindo como esfoliante suave e clareador de manchas superficiais – o que proporciona vitalidade à pele. No cuidado corporal, é recomendada para combater a celulite e a flacidez.
A argila verde é indicada para todos os tipos de pele.  

Argila preta: conhecida como “lama negra”, é considerada um material muito nobre. Possui grande quantidade de matérias orgânicas e enxofre, sendo a mais ácida das argilas. Rica em ferro, acelera a renovação celular, estimula os colágenos, atua na pele madura e propicia  intenso poder rejuvenescedor da pele do rosto. Possui ação estimulante adstringente, redutora, anti-inflamatória, antiestresse, desintoxicante e adstringente, além de melhorar a circulação sanguínea. Nos tratamentos corporais, é recomendada para celulite, redução de medidas e flacidez.
A argila preta também é indicada para todos os tipos de pele.

Argila branca: é o tipo de argila com maior quantidade de silicato de alumínio, caolinita e sais minerais. Possui pH próximo ao da pele, por isso atua como revitalizante natural com ação clareadora, suavizante e cicatrizante. Promove aumento da oxigenação de áreas congestionantes, clareia manchas e reduz rugas e sinais de expressão. Funciona também como um ótimo esfoliante mineral. No cuidado facial, é recomendada para peles oleosas, acneicas e com manchas, pois absorve a oleosidade e combate cravos e espinhas.
A argila branca é indica para peles sensíveis.

Como aplicar?

Para começar, antes da aplicação das máscaras, limpe bem a pele do rosto, retirando maquiagem e resíduos de sujeira. Escolha a argila natural (verde, preta ou branca) conforme sua necessidade e misture-a com água mineral, tônico ou fluido facial até formar uma massa pastosa, lisa e uniforme. Aplique essa massa no rosto usando movimentos circulares ou, se preferir, com o auxílio de um pincel de cerdas firmes. Evite as áreas dos olhos e boca, contornando essas regiões. Deixe secar naturalmente e evite movimentos musculares faciais, deixando agir durante 20 a 30 minutos. Relaxe e aproveite esse momento! Depois, com um algodão embebido em água fria ou morna, retire toda a argila e aplique seu hidratante facial. É interessante evitar maquiagem por algumas horas, logo após o uso da argila. Assim sua pele poderá respirar e potencializar todos os benefícios do produto.

A argila provoca reações na pele?

É normal, durante a aplicação da máscara de argila ou logo após a sua retirada, sentir uma certa sensação de dormência ou notar um “vermelhidão” na pele. Não se preocupe, isso acontece porque a circulação foi ativada naquele local. Escolha a argila de acordo com os efeitos necessários para o seu tipo de pele – isso é importante para não agredi-la demais e para obter resultados imediatos. Os efeitos serão positivos e você se tornará fã da argila.

Repetir o procedimento a cada 15 dias, com a argila ideal para a sua pele, é suficiente para mantê-la sempre saudável, macia,  livre de impurezas e renovada.

Teste em casa e conte pra gente sobre os seus resultados! 😉